0

América-MG e Tupi empatam e desperdiçam chance de entrar no G4

3 mar 2013
20h40
atualizado às 20h55
  • separator
  • 0
  • comentários

América-MG e Tupi fizeram um jogo movimentado neste domingo, no estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora. Apesar da vontade das duas equipes o resultado permaneceu na igualdade em 1 a 1, resultado que não agradou nenhum ao Coelho muito menos ao Galo Carijó, já que o vencedor do confronto entraria no G4 do Campeonato Mineiro.

O gol do América-MG anotado pelo zagueiro Lula, que desviou cobrança de falta de Rodriguinho. O Tupi empatou no finalzinho do jogo em cobrança de pênalti de Alonso. O Tupi chegou aos seis pontos, mesma pontuação do Tombense, mas o time de Juiz de Fora leva desvantagem no número de vitórias, por isso, ocupa a quinta colocação. Já o América-MG somou o quinto ponto, porém, fica atrás da Caldense nos critérios de desempate, ocupando apenas o sétimo lugar.

Na sequência do Campeonato Mineiro o Tupi volta a jogar em casa, no próximo sábado, recebendo a visita do Guarani, no Mário Helênio. Já o América-MG vai atuar diante da torcida americana no Independência, confronto ante o Nacional, marcado para sábado.

O jogo - Tupi e América-MG iniciaram a partida buscando o gol, o que gerou um jogo aberto com alternância de chances para os dois lados nos primeiros minutos. Mesmo atuando longe de casa, o Coelho tentou impor o ritmo, mas o Galo Carijó não se intimidou e obrigou o goleiro Neneca a trabalhar bastante para interceptar bolas alçadas para área.

O América-MG desperdiçou uma ótima chance de abrir o placar com o Fábio Júnior, que recebeu bom cruzamento pela esquerda e bateu de primeira, mas o chute saiu fraco e facilitou a defesa de Tadeu. Aos 15, novamente Fábio Júnior apareceu em condição de abrir os trabalhos, o avante se livrou da marcação, mas voltou a parar no goleiro Tadeu.

A resposta dos donos da casa veio na sequência com Vinícius, que mandou um verdadeiro petardo de fora da área, que passou muito perto da trave de Neneca. Após a movimentação inicial de Coelho e Galo Carijó as duas equipes diminuíram a intensidade das ações, deixando o jogo morno, com muitos passes laterais, mas com pouca objetividade.

O cenário do segundo tempo mudou pouco em relação ao finalzinho da primeira etapa, ou seja, muita vontade de América-MG e Tupi, mas pouco futebol dos dois lados. Atuando em casa, o Galo Carijó foi um pouco mais ofensivo, criando algumas chances de gol, mas com a pontaria descalibrada.

Insatisfeito com o desempenho da equipe, o técnico americano Vinícius Eutrópio gritou muito com os comandados a beira do campo, principalmente com o lateral Gedeílson, que na visão do treinador estava errando muitos passes e deixando espaços pela direita. Aproveitando a instabilidade do Coelho, aos poucos o Tupi começou a ser mais agressivo em busca do gol.

Aos 21, Vinícius limpou a marcação e mandou uma bomba em direção ao goleiro Neneca, que não conseguiu segurar firme, no rebote, ninguém do Tupi chegou para completar. O comandante do Coelho tentou trocar Kaká por Tiago Alves, que gosta de atuar pelos lados do campo, mas a bola não chegou no atacante.

No pior momento do América-MG no jogo, o time conseguiu chegar ao gol em um lance de bola parada. O armador Rodriguinho cobrou falta e o zagueiro Lula desviou de cabeça para abrir o placar no Mário Helênio. Após o gol americano, o Tupi foi todo para a frente em busca ao menos do empate.

Aos 43, o atacante Wesley sofreu falta dentro da área, cometida pelo goleiro Neneca, o árbitro Igor Junio Benevenuto marcou pênalti para o Galo Carijó. Na cobrança, Alonso bateu forte, sem chances para o arqueiro do Coelho, deixando tudo igual no placar e levando a torcida à loucura nas arquibancadas do Mário Helênio.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade