0

Ansioso por Tocha, Clodoaldo promete: "mostrarei o potencial dos brasileiros"

29 ago 2012
07h33
atualizado às 09h01

Maior medalhista paralímpico da história do Brasil, com 13 condecorações, o nadador Clodoaldo Silva irá, ao lado da velocista Ádria dos Santos, representar o Brasil na condução da Tocha Paralímpica, na Cerimônia de Abertura dos Jogos, nesta quarta-feira, no Estádio Olímpico de Londres. No entanto, apesar de ser um dos paratletas mais experientes do mundo, o brasileiro se disse ansioso e afirmou que mostrará para o mundo o potencial dos brasileiros no evento que marca o início dos Jogos Paralímpicos de Londres.

"Estou ansioso pelo momento da cerimônia", disse Clodoaldo, que completou, dizendo que não irá somente representar o Brasil na Cerimônia desta quarta. "Farei melhor ainda, mostrarei para o mundo o potencial dos 40 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência", afirmou.

Em Londres, Clodoaldo competirá nas provas 50, 100 e 200 m nado livre e 50 m nado borboleta, categoria S5 ("S" de swimming, natação em inglês, e 5 representando o nível de limitação físico-motora do atleta). A primeira prova, os 50 m livre, será no dia 30, próxima quinta-feira.

Natural de Natal, no Rio Grande do Norte, Clodoaldo Silva sofreu uma paralisia cerebral por falta de oxigênio durante o parto, o que afetou a mobilidade de suas pernas e sua coordenação motora.

Em 1996, conheceu a natação como processo de reabilitação e, dois anos depois, participou do primeiro Campeonato Brasileiro, faturando três medalhas de ouro. Em 1999, teve as primeiras experiências internacionais e defendeu a Seleção de natação nos Jogos Mundiais da Nova Zelândia e no Para-Pan do México.

Considerado por muitos como o maior paratleta da história do Brasil, Clodoaldo Silva é dono de 13 medalhas paralimpícas. Em Sydney 2000, faturou três pratas e um bronze. Quatro anos depois, nos Jogos de Atenas, chocou o mundo ao vencer seis medalhas de ouro e uma de prata. Já em Pequim 2008, o brasileiro voltou para casa com uma prata e um bronze.

Em 2005, recebeu do Comitê paralímpico internacional o título de melhor atleta do mundo e o prêmio de "hour concour" do COB, honra tida somente por Ronaldo e Ronaldinho, astros do futebol brasileiro.

O atleta ostenta cinco recordes mundiais, na categoria S4, que ainda não foram quebrados: 50 m nado livre, 100 e 200 m livre, 50 m borboleta e 150 m medley.

O brasileiro vai participar da condução da Tocha Paralímpica na Cerimônia de Abertura do evento, nesta quarta-feira
O brasileiro vai participar da condução da Tocha Paralímpica na Cerimônia de Abertura do evento, nesta quarta-feira
Foto: Luciana Vermell/Fotocom.net / Divulgação
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade