> Esportes  > Atenas 2004
Veja mais sobre Atenas no celularAtenas 2004 em:


 Boletim

 Fale conosco

Atenas 2004
Phevos e Athena, os mascotes do Olímpio
 
EFE
Phevos (à esq.) e Athena visitam a Acrópole de Atenas
Multimídia
Galerias de fotos
» Os mascotes dos Jogos Olímpicos
Busca
Busque outras notícias no Terra:
Os mascotes oficiais de Atenas 2004 vêm da mesma família. Phevos (azul) e Athena (laranja) são irmão e irmã e foram inspirados em bonecos da Grécia Antiga. Seus nomes também estão relacionados ao mesmo período. Eles representam a relação entre a história grega e os Jogos Olímpicos modernos.

  • Veja fotos e relembre outros mascotes

    Phevos é o nome do deus do Olímpio da luz e da música, conhecido como Apolo. Athena é a deusa da sabedoria e patrona da cidade de Atenas, sede dos Jogos.

    Phevos e Athena são duas crianças simples e alegres, cheias de vitalidade e criatividade. Os dois mascotes transmitem os valores olímpicos: participação, irmandade, igualdade, cooperação e justiça.

    Os mascotes das outras edições

    Em Sydney-2000, pela primeira vez, as Olimpíadas contaram com três mascotes. O ornitorrinco Syd simbolizou o espírito de competição e a garra no esporte, além de cuidar da relação homem/meio ambiente. Olly, um kookaburra, pássaro típico da Austrália, representou a amizade, o intercâmbio, a diversidade cultural, o companheirismo e o espírito olímpico. Ele também foi encarregado de proteger os anéis olímpicos durante os Jogos. O outro mascote foi a eqüidna (uma espécie de porco-espinho) Millie. Ela significou o início da esperança e o otimismo no novo milênio.

    Em Atlanta-1996, o mascote foi Izzy, boneco fruto da imaginação de crianças de 15 países, incluindo do Brasil. Cobi, o cachorrinho simpático, foi o mascote de Barcelona-1992.

    Em Los Angeles-1932, o comitê organizador apresentou um cão chamado Smoky, como o mascote não-oficial. Somente a partir de México-1968, é que o mascote passou a ser oficial. Naquela edição, o bichinho escolhido foi um jaguar vermelho que não teve nome.

    No entanto, o mais memorável dos mascotes é Misha, o ursinho de Moscou-1980. Ao término das olimpíadas, na cerimônia de encerramento, Misha chorou. Sua imagem foi formada por pessoas na platéia com cartazes e com lenços, simulando uma lágrima. A cena se tornou um dos fatos mais marcantes daquela edição e é até hoje lembrada.

    Los Angeles-1932: Smoky (cão)
    México-1968: Jaguar vermelho (sem nome)
    Munique-1972: Waldi (cão)
    Montreal-1976: Amik (castor)
    Moscou-1980: Misha (urso)
    Los Angeles-1984: Sam (águia)
    Seul-1988: Hodori e Hosumi (tigres macho e fêmea)
     

  • Redação Terra