1 evento ao vivo

Após campanha "inadmissível", Atlético-PR promete não cair

Com apenas 11 pontos, a equipe da capital vai tentar evitar o rebaixamento

29 mar 2015
18h15
atualizado às 19h50
  • separator
  • 0
  • comentários

Com uma campanha vexatória, o Atlético-PR está eliminado da segunda fase do Campeonato Paranaense e vai participar do Torneio da Morte para lutar contra o rebaixamento . A confirmação ocorreu na tarde deste domingo, quando perdeu por 1 a 0 para o Londrina, no Estádio do Café, gol do atacante Arthur. Assim, a equipe atleticana foi a 9ª colocada do Estadual, com apenas 11 pontos conquistados.

Londrina venceu o Atlético-PR no Estádio do Café e jogou os rubro-negros para o grupo do descenso
Londrina venceu o Atlético-PR no Estádio do Café e jogou os rubro-negros para o grupo do descenso
Foto: Gilberto Abelha / Gazeta do Povo / Futura Press

Para o volante Deivid, um dos jogadores mais identificados com a torcida do Atlético-PR, este é um dos momentos mais difíceis da história do clube. "Somos o maior do estado. É vergonhoso estar passando por isso", disse o atleta. Segundo o meio-campista, a mudança no planejamento - colocando o principal no lugar do Sub-23 - atrapalhou, mas não serve como desculpa. "É claro que fomos pegos de surpresa com o fato. Mas independente disso, a nossa obrigação era estarmos prontos e preparados, já que fizemos uma boa pré-temporada", complementa Deivid.

Já o zagueiro Gustavo, um dos líderes do elenco, afirma que o vexame é uma das maiores decepções que já teve na carreira. "Um clube com essa estrutura, com essa torcida.. é inadmissível passar por isso. É extremamente frustrante", lamenta. Na opinião do defensor rubro-negro, a equipe não demonstra bom futebol, apesar de trabalhar bastante durante a semana. "É um momento ruim. Mais uma vez fizemos um péssimo jogo. Vamos disputar o Torneio da Morte não apenas por causa desta partida, mas sim por toda a campanha", critica.

Na mesma linha foi o goleiro Weverton, que eximiu de culpa a diretoria e a comissão técnica e responsabilizou o elenco pelo vexame. "Quem joga somos nós. Quem perdeu fomos nós. Mas, da mesma forma que colocamos o time neste momento delicado, vamos tirá-lo", promete o camisa 12 do Atlético-PR.

Torcida atleticana, presente em Londrina, protestou contra o time
Torcida atleticana, presente em Londrina, protestou contra o time
Foto: Atlético-PR / Divulgação

Já aconteceu antes...

Esta não vai ser a primeira vez que o Atlético-PR vai jogar o Torneio da Morte do Campeonato Paranaense. Em 1980, o clube da capital já passou por esta vexatória situação e conseguiu escapar na ocasião. Diferente do ocorrido em 1967, quando acabou rebaixado para a Segunda Divisão do Estadual.

Em 67, o Atlético-PR disputou 28 partidas e conquistou apenas três vitórias - teve também 11 empates e 14 derrotas. Assim, a equipe rubro-negra acabou o Estadual na última colocação e não jogou a Segundona do Estadual por causa de um acordo político com a Federação e com os rivais - na época Coritiba e Ferroviário, que pediram sua permanência na elite. Mas, após o vexame, surgiu um dos maiores personagens da história do Atlético-PR: Jofre Cabral e Silva, um dos principais dirigentes da história do clube.

Já em 1980, quando foi para o Torneio da Morte, a equipe escapou do vexame maior. O ex-meia Nivaldo Carneiro estava naquele time do Atlético-PR e comentou sobre a desagradável situação. "Foi uma equipe montada às pressas, que simplesmente não correspondeu. Acabamos neste torneio, horrível, não gosto nem de lembrar", relembra.

Fonte: PGTM Comunicação - Especial para o Terra PGTM Comunicação - Especial para o Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade