2 eventos ao vivo

Bolt ironiza suspeitas de doping: "congelem meu sangue por 50 anos"

5 ago 2013
09h11
atualizado às 09h12
  • separator
  • comentários

Usain Bolt não teme os olhares desconfiados daqueles que suspeitam que o homem mais rápido do planeta está alheio ao escândalo de dopíng que abalou o atletismo mundial no mês de julho. Em entrevista ao jornal espanhol Marca, o jamaicano reforçou estar "limpo" e aceitou, inclusive, a possibilidade de congelarem seu sangue por um longo período para futuras análises. 

<p>Bolt reforçou que não teme as suspeitas de que também esteja envolvido no escândalo de doping</p>
Bolt reforçou que não teme as suspeitas de que também esteja envolvido no escândalo de doping
Foto: Reuters

"50 anos? Certamente. Eu passo por muitos exames de sangue a cada temporada e por mim não haveria nenhum problema com qualquer data que pusessem. Insisto que me submetam a exames o tempo todo", declarou Bolt, recordista mundial e bicampeão olímpico nos 100 m e nos 200 m rasos.

O velocista será uma das grandes atrações do Mundial de Atletismo, que terá início em 10 de agosto em Moscou, na Rússia. Apesar de o torneio ter perdido alguns ícones, como os também jamaicanos Asafa Powell e Sherone Simpson e o americano Tyson Gay - todos foram afastados por doping -, o velocista se mostrou motivado.

"Haverá sete grandes concorrentes ao meu redor, e meu objetivo é dar tudo o que puder e mostrar ao mundo que posso continuar prolongando meu domínio nos anos que vêm pela frente", declarou.

O jamaicano afirmou também que "seria uma honra" ter seu nome mencionado quando se fala de atletas lendários. “Podemos dizer que eu seja uma lenda no atletismo, mas, para mim, seria uma honra que me citassem quando falassem de grandes ídolos do esporte, como Pelé, Maradona, Zidane... esse tipo de gente”, concluiu. 

 

EFE   
  • separator
  • comentários
publicidade