Atletismo

publicidade
08 de junho de 2013 • 21h23 • atualizado às 21h47

Carlos Chinin vence no decatlo e crava novo recorde sul-americano

Carlos Chinin foi o grande destaque do Troféu Brasil
Foto: Wagner Carmo/CBAt / Divulgação
 

Carlos Chinin disputou dez provas em dois dias e acabou concretizando um grande feito neste sábado. O atleta da BM&FBovespa bateu o recorde sul-americano do decatlo, ao atingir 8.393 pontos, e levou o ouro no Troféu Brasil/Caixa de Atletismo, disputado no estádio Ícaro de Castro Melo, no Ibirapuera, em São Paulo (SP).

A marca confirma a classificação de Chinin para o Mundial de Moscou, que será realizado em agosto, e é a terceira melhor do Ranking Mundial 2013. O recorde sul-americano anterior pertencia a Luiz Alberto de Araújo, também da BM&FBovespa, que tinha atingido 8.276 pontos, marca conseguida em 2012, também no Troféu Brasil. Na ocasião, Luiz de Araújo superou o recorde de Pedro Ferreira da Silva Filho que, em 1987, conseguiu 8.266 pontos, nos Estados Unidos.

Neste sábado, a medalha de prata ficou com o próprio Luiz Alberto de Araújo, que atingiu 7.958 pontos. Carlos Chinin, de 28 anos de idade, não conteve a emoção já ao completar os 1.500 m, última prova do decatlo. Ele sabia que tinha conseguido o melhor desempenho da vida, superando os 8.182 pontos do final de maio, em Goetzis, na Áustria.

"Fui bem orientado por pessoas queridas e por profissionais e agora, sem ansiedade, entendo melhor os meus limites. A ficha não caiu ainda. Estou com tanta coisa na cabeça que nem consigo exprimir meus sentimentos. É uma conquista emocionante e que recompensa todos os sacrifícios feitos", disse Chinin, que conseguiu superar os problemas físicos dos últimos anos.

O atleta fez questão de mencionar os trabalhos do médico Cristiano Laurino e dos técnicos Edemar Alves, da BM&FBovespa, e Oleg Ruyev, ucraniano contratado pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) para dar consultoria na prova.

"São pessoas que me acompanham sempre e são fundamentais para o meu crescimento", disse Carlos Chinin, que ganhou a medalha de bronze no Pan-americano do Rio de Janeiro, em 2007. Assim como seu pupilo, Edemar se mostrou emocionado e frisou que Chinin está fazendo o que seu potencial permite: "Ele faz nas provas o que faz nos treinamentos, sabe administrar seus limites. Acho que se fizer mais 100 pontos no Mundial, ele garante uma medalha para o Brasil".

Para bater o recorde no Troféu Brasil, Chinin obteve os seguintes resultados: 10s85 nos 100 m, 7,55 m no salto em distância, 15,28 m no arremesso do peso, 2,04 m no salto em altura, 48s18 nos 400 m, 14s08 nos 110 m com barreiras, 4,90 m no salto com vara, 59,58 m no dardo e 4min34s77 nos 1.500 m. Edemar destacou o resultado das barreiras, recorde pessoal do atleta.

Depois de disputar três decatlos em menos de um mês, Carlos Eduardo Bezerra Chinin ganha agora uma semana de folga e depois disso retoma os treinos para o Mundial de Moscou. "Ele precisa retomar a preparação com calma e não dá para fazer mais nenhuma competição até agosto", finalizou o treinador.

Na prova do lançamento de dardo, a paraibana Jucilene Sales de Lima, da BM&FBovespa, igualou o recorde brasileiro, ao obter 61,98 m em sua quarta tentativa. Com o resultado, Jucilene ratifica o índice CBAt para o Mundial de Moscou e iguala a marca de Sueli Pereira dos Santos, obtida em Bogotá (COL), em 2000. A atleta de 22 anos de idade também supera o recorde do torneio, que pertencia a Alessandra Nobre Rezende (58,21 m - 2006).

"Depois de tantos problemas físicos, é uma felicidade imensa conseguir igualar esse recorde. Espero manter uma sequência de provas para evoluir mais", falou Jucilene, que é nascida em Taperoá (PB) e treinada por João Paulo Alves da Cunha.

Durante três anos, Jucilene Sales sentiu dores nas costas e isso prejudicou seu desempenho. No dia 4 de maio, em Campinas (SP), ela obteve o índice para o Mundial, ao realizar um lançamento de 60,03 m, mas desde então a lançadora não conseguiu competir por conta de câimbras.

"Quero ver se no Sul-Americano eu melhoro ainda mais o resultado para ir mais confiante para o Mundial", destacou, já se lembrando do torneio continental, que será disputado em julho, na Colômbia.

No lançamento de disco, o paulista Ronald Julião conquistou sua nona medalha de ouro na carreira. Já classificado para o Mundial, o atleta da BM&FBovespa marcou 61,62 m. "Não era o resultado que queria, mas a vitória é sempre importante", frisou Julião, que vai participar, em julho, da Universíade de Kazan (RUS). "Ganhei bronze em 2011 na China e espero outra boa marca", completou o medalhista de ouro do Troféu Brasil.

O catarinense Felipe Lorenzon (ASA-Sertãozinho) vibrou muito com a conquista da medalha de prata e a classificação para o Sul-Americano. "Só eu sei o que me dediquei aos treinos para recuperar o tempo perdido por causa de uma lesão no pulso", confessou o lançador, que marcou 55,19 m, recorde pessoal. "Vamos para o Sul-Americano para representar bem o Brasil", completou o atleta de 19 anos, que ficou em sexto lugar no Mundial de Juvenis, no ano passado, em Barcelona (ESP).

Na prova dos 5.000 m foi Adriana Aparecida da Silva (Pinheiros) que subiu ao lugar mais alto do pódio. A paulista, que representou o Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres-12, venceu a prova com a marca de 16min12s88.

"Estou com muito treino nas pernas e bem de cabeça", disse Adriana, que também levou a prata nos 10.000 m. "Consegui bons resultados e estou muito animada para o Sul-Americano", declarou a atleta, que se prepara para a Maratona de Nova York, no dia 3 de novembro.

Na prova do salto em altura, a maranhense Aline Fernanda Santos (BM&FBovespa) ficou com o ouro, sua primeira medalha no torneio, ao saltar 1,83 m. "Estou muito feliz porque mostrei mais segurança, recuperada de uma lesão", falou a vencedora.

Já a paranaense Ana Paula Caetano de Oliveira (AA Maringá) ficou com a prata, com a marca de 1,81 m. Aos 16 anos, ela fez o recorde pessoal e ratificou índice para o Mundial de Menores de Donetsk, na Ucrânia, em julho, e para o Campeonato Pan-Americano de Medellín, na Colômbia, em agosto. "Minha melhor marca anterior era de 1,78 m e é muito bom superar a barreira de 1,80 m", comentou.

No salto em altura masculino, Guilherme Henrique Cobbo (Pinheiros) levou o ouro, cravando 2,22 m. O paranaense travou uma bela disputa com o companheiro de equipe Talles Frederico Silva, que fechou com a medalha de prata (2,20 m), mesma marca de Josué Lima da Costa (Orcampi/Unimed), que ficou em terceiro.

Além das decisões, seis semifinais foram disputadas neste sábado à tarde e apontaram os atletas que vão brigar por medalhas neste domingo pela manhã. Os melhores resultados foram obtidos por Ana Cláudia Lemos (BM&FBovespa), com 22s75, e Bruno Lins (Fundacte), com 20s45, nos 200 m; Matheus Inocêncio (Kaiaikan), com 13s58, nos 110 m com barreiras; Fernando Lina da Silva (BM&FBovespa), com 1min48s27, nos 800 m; Liliane Fernandes (BM&FBovespa), com 58s20, e Mahau Suguimati (Orcampi/Unimed), com 50s96, nos 400 m com barreiras.

Confira os pódios das provas deste sábado no Troféu Brasil:

Lançamento do dardo feminino
1º Jucilene Sales de Lima (BM&FBovespa) 61,98 m - Igualou RB/RC
2º Laila Ferrer Domingos (Pinheiros) 59,91 m
3º Lilian Seibert (Orcampi) 54,28 m

Salto em altura feminino
1º Aline Fernanda dos Santos (BM&FBovespa) 1,83 m
2º Ana Paula Caetano (AA Maringá) 1,81 m
3º Monica Freitas (BM&FBovespa) 1,81 m

Lançamento do disco masculino
1º Ronald Julião (BM&FBovespa) 61,62 m
2º Felipe Lorezon (ASA-Sertãozinho) 55,19 m
3º Carlos Antonio Silva Valle (Pinheiros) 55,14 m

Salto em altura masculino
1º Guilherme Cobbo (Pinheiros) 2,22 m
2º Talles Frederico (Pinheiros) 2,20 m
3º Josue Lima da Costa (Orcampi) 2,20 m

5.000 m feminino
1º Adriana Aparecida da Silva (Pinheiros) 16min12s88
2º Tatiele Roberta de Carvalho (Orcampi) 16min16s15
3º Valdilene dos Santos Silva (Pinheiros) 16min21s80

Decatlo
1º Carlos Chinin (BM&FBovespa) 8.393 pontos - RS
2º Luiz Alberto de Araújo (BM&FBovespa) 7.958 pontos
3º Renato Atíla da Camara (SOGIPA) 7.125 pontos

RS=Recorde Sul-Americano/RB=Recorde brasileiro

Classificação parcial por equipes:

1º BM&FBovespa - 436 pontos
2º Pinheiros - 243,5
3º Orcampi - 144
4º FUNDACTE - 46
5º Brasil Foods - 45
6º Sogipa e ASA-Sertãozinho - 41
8º GR Barueri - 30
9º Brasil Vale Ouro - 26
10º ASA-São Bernardo - 25
 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva