0

Chia aumenta força e resistência na corrida; saiba por quê

11 out 2012
08h03
atualizado em 12/10/2012 às 09h56

Chia é o nome popular de uma planta chamada Salvia Hispânica, originária das regiões central e sul do México e da Guatemala, cuja semente é considerada um alimento funcional em virtude de suas propriedades nutritivas, e ainda possui a fama de fornecer força e resistência para os corredores. A origem dessa reputação remonta a um feito ocorrido em 1997, quando um índio de 52 anos da tribo mexicana Tamahurama, chamado Cirildo Chacarito, teria ganhado uma corrida de 100 milhas patrocinada pela Nike na Califórnia, usando apenas sandálias de borracha e desbancando vários atletas profissionais.

A semente da chia era consumida como alimento pelos povos pré-colombianos. Eles a utilizavam quando necessitavam de energia e força para longas jornadas, caçadas e batalhas. Diz a lenda que caminhavam 24h consumindo apenas um punhado de chia e nada mais.
A semente da chia era consumida como alimento pelos povos pré-colombianos. Eles a utilizavam quando necessitavam de energia e força para longas jornadas, caçadas e batalhas. Diz a lenda que caminhavam 24h consumindo apenas um punhado de chia e nada mais.
Foto: shutterstock / Terra



O segredo da grande performance teria sido atribuído à chia, principal alimento da cultura Tamahurama. A semente também era consumida como alimento pelos povos pré-colombianos bem antes dos europeus chegarem às Américas. Eles a utilizavam quando necessitavam de energia e força para longas jornadas, caçadas e batalhas. Diz a lenda que caminhavam 24h consumindo apenas um punhado de chia e nada mais.



Segundo Vanessa Grigoleto Pimentel, nutricionista especializada em fisiologia do exercício pela Universidade Federal São Paulo (Unifesp) e em nutrição esportiva pelas Faculdades Integradas de Santo André (Fefisa), o ganho de força e resistência atribuído ao consumo regular da chia está relacionado à grande variedade e quantidade de minerais e vitaminas presentes na semente. "Ela é rica em proteína vegetal de alto valor biológico, pois contém quase todos os aminoácidos essenciais e não essenciais ao organismo. Também possui três vezes mais ômega 3 que a semente de linhaça, além de grande quantidade de cálcio, ferro e potássio, minerais que têm um papel importante na função da contração muscular", explica.



Para se ter uma ideia, 100 gramas de chia oferecem a mesma quantidade de cálcio encontrada em pouco mais de um litro de leite. A mesma porção da semente equivale à ingestão de potássio proporcional ao consumo de cinco bananas, e de ferro em relação a 1 quilo de espinafre. Também fazem parte de sua composição nutricional minerais como o magnésio, fósforo e manganês, além de fibras e antioxidantes - estes muito importantes para combater a produção de radicais livres motivada pelo exercício aeróbio.



A chia pode ser encontrada em forma cápsulas, pó ou grãos - que são a melhor opção, de acordo com a nutricionista, porque mantém sua qualidade natural. Para obter seus benefícios, orienta Vanessa, é necessário que a semente seja incluída regularmente nas refeições diárias. "Para aqueles que querem reduzir o peso, o ideal é tomar uma colher de chá de chia diluída em água 30 minutos antes das refeições. Isso porque ela tem como característica a retenção de água, que auxilia nessa função. Já aqueles que desejam apenas usufruir seus nutrientes, podem adicioná-la no arroz (durante o preparo), por exemplo, e consumi-la junto à refeição", sugere, salientando que ela também pode ser uma boa opção no pré-treino, substituindo a veia e a granola. "Nesse caso, é interessante adicioná-la ao yogurte. Porém não muito próximo às provas, porque ela possui alta quantidade de fibras, o que pode causar algum desconforto durante a corrida, como cólicas. Por isso, é aconselhável um dois dias de intervalo para que o organismo não tenha problemas", conclui.



Roda Livre
Especial para o Terra
Terra

compartilhe

publicidade
publicidade