0

Em vistoria, Kassab se diz tranquilo com chance de chuva na Indy

3 fev 2010
14h04
atualizado às 14h54

"Hoje, verdadeiramente está sendo dada a largada para o Grande Prêmio de Fórmula Indy na cidade de São Paulo". Foi desta forma que o prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab, definiu a vistoria no circuito que será utilizado na abertura da temporada da categoria, em 14 de março. No passeio pelo complexo do Anhembi e arredores, no fim da manhã desta quarta, o chefe do Executivo garantiu: não há motivos para se preocupar com chuva no dia da corrida.

» Alonso fecha dia de testes em 1° e supera tempo de Massa
» Buemi acredita em temporada competitiva da Toro Rosso
» Alonso leva milhares de fãs a teste da F1 em estreia na Ferrari
» Stock anuncia temporada e pode ter Nelsinho Piquet em etapa

Já são 42 dias consecutivos de chuvas em São Paulo, responsáveis por diversos alagamentos, inclusive na região do circuito de rua - o trajeto da Indy inclui um trecho da Marginal Tietê e da Avenida Olavo Fontoura, além do Sabódromo e do estacionamento do Complexo do Anhembi.

"É importante registrar que a pista só foi aprovada depois que passou por uma rigorosa fiscalização dos técnicos contratados pela Fórmula Indy e sua organização", comentou o prefeito, refutando qualquer possibilidade de um vexame devido ao excesso de água na pista e em suas proximidades. "Estamos muito tranquilos seja com relação à enchente, à segurança e também com outras questões que são fundamentais para a aprovação do circuito", disse.

Presidente da SPTuris (Empresa de eventos e turismo da cidade de São Paulo), Caio Luiz de Carvalho reforçou o discurso de Kassab. "A chuva preocupa a cidade, não a Fórmula Indy. Esse é um problema da cidade, de quem mora em regiões de risco, não um problema dos pilotos. Tem piloto que até torce para chover", ressaltou.

Ele também descarta a chance de o público não conseguir chegar ao autódromo em caso de tempo ruim. "Faço GPs de Fórmula 1 há muito tempo e, mesmo quando tem muita chuva em Interlagos, o autódromo está lotado", disse.

De acordo com Kassab, havia cinco alternativas para a construção do circuito de rua para a Indy em São Paulo, mas os norte-americanos optaram pelo uso do autódromo - o circuito de Interlagos não poderia ser utilizado na prova devido a um contrato de exclusividade assinado com a FOM (Formula One Management), empresa que administra a Fórmula 1.

E o prefeito parece ter gostado da escolha. "Pudemos assim antecipar algumas ações que já seriam realizadas, como as obras da Marginal e a ampliação do Anhembi", destacou Kassab.

A ideia é ter todo o asfalto da pista pronto logo após o Carnaval, mas o circuito só deve estar inteiramente pronto próximo ao dia 14 de março. "Falo até como engenheiro e menos como prefeito: as chuvas sempre podem atrapalhar o cronograma das obras. Mas elas estão no fim e os especialistas estão nos tranquilizando. Por mais que possa chover ainda, temos uma folga muito grande", disse o prefeito.

Investimento público -

Para a realização da abertura da temporada 2010 da Fórmula Indy em São Paulo, a prefeitura irá investir um total de R$ 12 milhões. "Mas esse investimento será compensado porque os turistas deixam recursos em hotéis, restaurantes, comércio... Com isso, a cidade sai ganhando", acredita Kassab.

Um levantamento já realizado pela SPTuris prevê a chegada de 31 mil turistas por conta da prova, sendo seis mil estrangeiros. No total, estima-se que eles deixem R$ 118,2 milhões na economia da cidade, gerando três mil empregos.

O contrato da Indy com São Paulo é válido por cinco anos.

Bia Figueiredo fará sua estreia na Indy no circuito de São Paulo
Bia Figueiredo fará sua estreia na Indy no circuito de São Paulo
Foto: Divulgação
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade