0

Críticas e falhas na pista causam dor de cabeça à Indy em SP

13 mar 2010
19h00
atualizado em 14/3/2010 às 15h16
Emanuel Colombari
Direto de São Paulo

Após uma década de ausência no calendário da Fórmula Indy, o Brasil voltou a receber a categoria em 2010. No entanto, o que se viu neste sábado, primeiro dia de treinos para a São Paulo Indy 300, deverá deixar poucas saudades nos pilotos que passam neste final de semana pelo Autódromo do Anhembi.

Antes mesmo dos treinos livres, a região da corrida já apresentava um problema comum a sua rotina: o trânsito. A Marginal Tietê, na Zona Norte de São Paulo, enfrentou excesso de veículos na manhã de sábado, segundo a própria Companhia de Engenharia de Tráfego. Com interdição em trechos específicos, a via apresentou congestionamentos.

Com temperatura na casa de 57 graus no asfalto durante o dia, os pilotos - quase sempre acessíveis, à exceção de Danica Patrick - enfrentaram o Sambódromo paulistano em busca de tempos no reconhecimento da pista estreante. Mas logo no primeiro treino livre, a Fórmula Indy já encontrou uma pista cheia de poeira (comum a traçados novos) e ondulações. Com o passar do tempo, a própria atividade na pista limpou o asfalto.

No primeiro treino, que contou com pouca torcida nas arquibancadas, o brasileiro Mário Romancini (que fazia sua estreia pela Conquest) e a venezuelana Milka Duno (da Dale Coyne) escaparam do traçado e bateram. O melhor tempo ficou com o neozelandês Scott Dixon, que completou o trecho com sua Chip Ganassi em 1min31s7707. Tony Kanaan, da Andretti, foi o terceiro do treino.

Mas o bom resultado não evitou as reclamações por parte do baiano da Andretti. "A pista é muito ondulada. Existem três ou quatro ondulações que são muito grandes. O problema do Sambódromo é a falta de aderência", criticou Kanaan, que dizia temer a possibilidade de chuva na pista - possibilidade real, segundo as previsões para o domingo.

As reclamações chegaram rapidamente aos ouvidos de Tony Cotman, engenheiro responsável pela pista. Atendendo a competidores e equipes, Cotman admitiu a mudança do local da largada (da Reta do Sambódromo para a Reta dos Bandeirantes, na Marginal Tietê), entre outras alterações. A possibilidade, porém, não será concretizada, e a largada será mantida em seu lugar de origem.

Com o passar das horas, os torcedores foram chegando animados às arquibancadas. Às 12h30, a etapa deu início a seu segundo treino livre. E a exemplo do que aconteceu no primeiro, as três primeiras colocações foram ocupadas por Scott Dixon, Ryan Briscoe e Tony Kanaan. O australiano da Penske, porém, não escapou do escorregadio piso de concreto do Sambódromo e deu sua escapada. Danica Patrick, Alex Lloyd, Hideki Mutoh, Bia Figueiredo e Raphael Matos também bateram, mas todos sem gravidade.

Com tantos problemas, a organização da prova decidiu agir. O treino de classificação, que aconteceria ainda na tarde deste sábado, foi remarcado para a manhã do domingo, entre as 8h30 e as 10h. Para tal, o Sambódromo passará por uma reforma de emergência e ganharia ranhuras em seu concreto durante a madrugada, de forma a dar mais aderência à criticada reta - que teve seu esmalte original tirado exatamente na tentativa de evitar o problema. O asfaltamento do trecho para cobrir o concreto ainda é uma possibilidade.

Antes do fim das atividades do dia, porém, um torcedor precisou ser atendido após desmaiar no Anhembi. E em meio a tantas críticas, a segurança e o atendimento médico do circuito se destacaram positivamente. Em poucos minutos, o turista argentino foi colocado em uma maca e deslocado para o Medical Center.

Ainda na tarde do sábado, o australiano Will Power terminou o terceiro e último treino livre do dia na frente. Com a Penske, ele marcou 1min31s2980 e deixou Tony Kanaan em segundo. A Reta do Sambódromo, porém, permaneceu sendo um problema, e Milka Duno, mais uma vez, quase acertou o muro.

Em meio a muitos problemas, a São Paulo Indy 300 volta a rolar no domingo. A partir das 8h (de Brasília), os pilotos estarão em ação no warm up. Às 13h, acontece a largada da prova na Reta do Sambódromo.

Terra exibe ao vivo a Fórmula Indy

O Terra transmite ao vivo e com exclusividade na internet todas as etapas da Fórmula Indy da temporada 2010. Os internautas podem acompanhar as 17 provas ao vivo, near live e os melhores momentos da competição. Pela primeira vez um portal brasileiro detém os direitos de transmissão ao vivo de todas as provas da Fórmula Indy. Durante as corridas, os internautas poderão ainda interagir em tempo real com narrador e comentarista no chat, além de ter acesso a números exclusivos de cada prova.

Reta do Sambódromo causou polêmicas e teve que ser reformada antes da corrida
Reta do Sambódromo causou polêmicas e teve que ser reformada antes da corrida
Foto: Ivan Pacheco / Terra
Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade