0

Aos 18 anos, Verstappen faz história e vence o GP da Espanha

Max Verstappen fez história neste domingo. O holandês, que fez sua corrida de estreia na Red Bull, venceu o Grande Prêmio de Barcelona e, aos 18 anos de idade, tornou-se o piloto mais jovem a subir ao lugar mais alto do pódio em uma prova na história da modalidade. O garoto, que substituiu Kvyat durante […]

15 mai 2016
11h02
  • separator
  • comentários

Max Verstappen fez história neste domingo. O holandês, que fez sua corrida de estreia na Red Bull, venceu o Grande Prêmio de Barcelona e, aos 18 anos de idade, tornou-se o piloto mais jovem a subir ao lugar mais alto do pódio em uma prova na história da modalidade.

O garoto, que substituiu Kvyat durante a última semana por opção da montadora austríaca, mostrou maturidade de gente grande para manter-se na liderança após duas paradas. O holandês segurou as investidas de Kimi Raikkonen, da Ferrari, que ficou em segundo.

O alemão Sebastian Vettel completou o pódio, na terceira posição. O tetracampeão do muno manteve a posição após uma longa briga com Daniel Riccardo. O australiano de Red Bull havia ficado na primeira posição após a colisão de Lewis Hamilton e Nico Rosberg logo na primeira volta, mas falhou na estratégia de paradas e perdeu o pódio.

Felipe Massa, que largou em 18º com sua Williams, conseguiu uma recuperação surpreendente, ganhou dez posições e terminou em oitavo. Já Felipe Nasr, mais uma vez, não teve um desempenho excelente. Mesmo assim, conseguiu ficar em 15º após ter largado em 20º.

Apesar da eliminação precoce, Rosberg segue liderando o Mundial de Pilotos, com 100 pontos, seguido pelo companheiro Lewis Hamilton (57). Kimi Raikkonen aparece logo atrás, na terceira posição, com 3 pontos.

A Fórmula 1 volta daqui a duas semanas, para o tradicional Grande Prêmio de Mônaco, sexta etapa da temporada, dos dias 26 a 29 de maio.

A corrida – Lewis Hamilton falava em “recuperar a confiança” após ter conquistado a pole position no treino classificatório e sair em vantagem contra o companheiro de Mercedes Nico Rosberg, que havia vencido as quatro primeiras provas da temporada.

O bom momento do inglês, no entanto, não durou nem uma curva. Logo após a largada, Rosberg foi para cima de Hamilton e conquistou a ultrapassagem. Abalado, o inglês tentou de todo o jeito recuperar a posição, buscou uma nova ultrapassagem por dentro na reta, perdeu o controle, chocou-se com o companheiro de equipe e os dois acabaram desclassificados.

O incidente causado por Hamilton, classificado como “inaceitável” pelo diretor Niki Lauda, acabou com a corrida da Mercedes e abriu caminho para a Red Bull e a Ferrari finalmente brigarem entre si para voltar ao lugar mais alto do pódio.

A montadora austríaca ficou com a liderança com Daniel RIcciardo, que havia largado em terceiro, e Max Verstappen, que fora envolvido em troca com Daniil Kyvyat e fez sua estreia na principal equipe da empresa de energéticos. Logo atrás dos dois, vinha Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen com suas Ferraris.

A briga pelas primeiras posições era acirrada. Vettel e Raikkonen, que dominaram a pré-temporada de treinos da F1 justamente no Circuito de Barcelona, mostravam um bom conhecimento da pista e faziam as voltas mais rápidas. O alemão foi o dono da melhor volta da corrida, com 1min27s974.

Após largar em 18º e 20º, respectivamente, os brasileiros Felipe Massa e Felipe Nasr brigavam para subir entre os últimos colocados e iam conquistando posições. Massa ganhou dez postos e acabou chegando à zona de pontuação. Já Nasr voltou a decepcionar e manteve-se entre os últimos.

Na 22ª volta, Nico Hulkenberg alegou a saída de uma fumaça da parte traseira de sua Force India e acabou deixando mais uma prova, abrindo caminho para mais ultrapassagens na prova.

Quem também saiu da corrida foi Fernando Alonso, na 47ª volta. Diante de sua torcida, o tricampeão do mundo estava na zona de pontuação quando sua McLaren mostrou problemas de potência e parou.

Na briga pela liderança, iniciou-se uma corrida tática. Ricciardo foi para a sua terceira parada nos boxes e apostou em pneus médios, bem como Vettel. Enquanto isso, Verstappen se mantinha com um médio mais usado, perseguido intensamente por Raikkonen.

Vettel e Ricciardo continuavam cravando uma outra briga, desta vez pela terceira colocação. Os dois tinham pneus novos e três paradas. O alemão mantinha-se no pódio, mas o australiano vinha com agressividade e assustava. No entanto, a estratégia de Ricciardo não trazia resultados, e o piloto acabou ficando fora do pódio depois de liderar boa parte da prova.

Na ponta, coube a Verstappen segurar o ímpeto de Raikkonen e ultrapassar a linha de chegada de maneira histórica. Aos 18 anos, o garoto holandês sobe ao lugar mais alto do pódio.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade