Fórmula 1

publicidade
23 de novembro de 2012 • 20h31 • atualizado em 18 de Julho de 2013 às 12h45

Após 1º semestre "fraco", Massa espera manter reação em 2013

Massa reagiu na segunda temporada de 2012
Foto: AFP
 
EMANUEL COLOMBARI
Direto de São Paulo

A temporada de 2012 da Fórmula 1 termina de forma bastante peculiar para Felipe Massa. Nas primeiras dez corridas do ano, o brasileiro somou apenas 23 pontos e andou bem distante de seu companheiro de Ferrari, Fernando Alonso - com três vitórias na primeira metade do calendário, o espanhol chegou a liderar o Mundial na metade do calendário, com 154 pontos após o Grande Prêmio da Alemanha, contra 120 de Mark Webber e 110 de Sebastian Vettel.

» De "reta curva" a sabão no banheiro; veja gafes de Galvão na F1

Daí em diante, porém, Alonso perdeu força, Vettel assumiu a primeira posição e Massa se recuperou. Antes candidato à dispensa, o brasileiro teve seu contrato renovado, somando 84 pontos em nove corridas. Mesmo longe da disputa pelo título da temporada, o próprio Massa acredita que o segundo semestre possa dar a ele o impulso necessário para conquistar o sonhado título mundial que deixou escapar em casa, em 2008.

"Na segunda parte do ano, consegui fazer o que deveria fazer na primeira metade do ano", analisou ele nesta sexta-feira, em conversa com jornalistas brasileiros após o quarto lugar no segundo treino livre para o Grande Prêmio do Brasil - Alonso foi quinto. "Estou bem satisfeito com o meu trabalho de agosto até aqui. Todo mundo começa (a próxima temporada) com zero ponto. Não aprendi a dirigir agora", completou.

Em sua análise de 2012, Massa não escondeu ter achado sua primeira metade do calendário "fraca". Desta forma, permitiu que Alonso se destacasse pelo desempenho no ano e ganhasse a preferência dentro do time para brigar pelo título - o que espera reverter em 2013. Agora, segundo ele, o momento é de ajudar o espanhol no Brasil, onde ele tem que reverter uma desvantagem de 13 pontos (273 contra 260) para o líder Sebastian Vettel.

Correndo em casa, Massa se dispõe a ajudar, como fez com Kimi Raikkonen em 2007 - o finlandês, então na Ferrari, foi campeão mundial porque Massa cedeu a ele a vitória em Interlagos. "Não tenho muito o que ensinar para ele. Se eu puder ajudar, não tenho problema nenhum em falar para ele", argumentou.

Terra Terra