4 eventos ao vivo

Com tranquilidade, Rosberg vence na Rússia e segue imbatível; Massa é 5º

Na manhã deste domingo, o GP da Rússia, realizado em Sochi, marcou a quarta etapa do mundial de 2016 da Fórmula 1. Mais uma vez, a prova foi dominada pelos carros da Mercedes, e o resultado das três primeiras corridas do ano se repetiu: Nico Rosberg foi o mais rápido, não dando chance aos adversários […]

1 mai 2016
10h42
  • separator
  • 0
  • comentários

Na manhã deste domingo, o GP da Rússia, realizado em Sochi, marcou a quarta etapa do mundial de 2016 da Fórmula 1. Mais uma vez, a prova foi dominada pelos carros da Mercedes, e o resultado das três primeiras corridas do ano se repetiu: Nico Rosberg foi o mais rápido, não dando chance aos adversários e dominando de ponta a ponta. Lewis Hamilton chegou na segunda posição e completou a dobradinha da equipe alemã.

Quem fechou o pódio foi o finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari. O outro piloto da equipe, Sebastian Vettel, abandonou a prova na primeira volta, após um choque com Daniil Kvyat, da Red Bull.

Felipe Massa terminou na quinta colocação, atrás do seu parceiro de Williams, Valtteri Bottas. Foi a primeira vez no ano que o finlandês terminou um GP à frente do brasileiro. Já o outro representante do país, Felipe Nasr, chegou com a Sauber na 16ª posição.

O próximo Grande Prêmio acontece no dia 15, no Circuito da Catalunha, em Barcelona.

A corrida – Logo na largada, acontecimentos pontuais mudaram a história da corrida para alguns pilotos. Atual líder do campeonato e vencedor dos três primeiros GPs do ano, Nico Rosberg não teve dificuldades para manter a ponta. Com uma boa saída, o corredor da Mercedes permaneceu na primeira posição. Valtteri Bottas, da Williams, perdeu o segundo lugar para Kimi Raikkonen, da Ferrari, mas logo conseguiu recuperar a posição.

O grande destaque da largada foi a confusão envolvendo Sebastian Vettel, da Ferrari, e os dois pilotos da Red Bull, Daniel Ricciardo e Daniil Kvyat. Lado a lado, Vettel e Riccardo disputavam a posição, mas Kvyat tocou e acabou furando o pneu traseiro do tetracampeão, que foi obrigado a abandonar a disputa. Vale lembrar que no GP da China, Sebastian e Daniil trocaram farpas pela maneira agressiva que largou o piloto da Red Bull.

Quem se aproveitou disso foi Lewis Hamilton. O piloto da Mercedes havia largado em décimo, mas rapidamente assumiu a quinta colocação. Na briga com os primeiros colocados, ultrapassou Felipe Massa e Kimi Raikkonen, e deu mostras de que daria trabalho no decorrer da prova.

Enquanto Massa, da Williams, perdeu uma posição em relação ao seu lugar no grid, o outro brasileiro, Felipe Nasr, da Sauber, conseguiu subir sete posições e apareceu em 12º. Porém, não conseguiu sustentar o lugar por muito tempo.

Mesmo Hamilton fazendo uma corrida buscando a vitória, a vantagem que Rosberg havia imposto permitiu que o alemão fizesse o pit stop e, mesmo assim, retomasse a primeira colocação, com Lewis em segundo. Embora a distância fosse na casa dos 12 segundos, os dois pilotos da Mercedes conseguiram cravar o mesmo tempo em uma das voltas, marcando 1min41s540.

Com sede de conseguir a primeira vitória na temporada, Hamilton foi, ao passar das voltas, diminuindo a distância para Rosberg. Porém, a vantagem construída fez com que Nico apenas administrasse a distância, liderasse de ponta a ponta e garantisse a quarta vitória do ano. Com isso, assegurou ainda mais a liderança isolada do mundial de pilotos, e atingiu a marca de sete vitórias consecutivas, se levarmos em conta o final da último campeonato.

Felipe Massa fez uma corrida segura e não teve maiores problemas para garantir a quinta posição. Já Felipe Nasr terminou em 16º.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade