0

Em comunicado, Toyota anuncia saída da Fórmula 1

4 nov 2009
06h20
atualizado às 09h21

A Toyota, maior fabricante mundial de veículos, anunciou nesta quarta-feira que, por razões econômicas, está se retirando da Fórmula 1. Com isso, a partir da próxima temporada, o Japão não terá escuderias na categoria. Em 2009, o italiano Jarno Trulli, o alemão Timo Glock e o japonês Kamui Kobayashi defenderam a equipe na F1.

O presidente da empresa, Akio Toyoda, se desculpou pelo fracasso da equipe na tentativa de vencer sequer uma corrida desde que chegou à categoria em 2002, apesar de um orçamento anual estimado em cerca de 300 milhões de dólares. Na conferência de imprensa, o chefe de equipe Tadashi Yamashina estava aos prantos. Em sete anos, foram 13 pódios e 87 pontos.

"Foi uma decisão muito difícil, mas inevitável", afirmou Toyoda. "Desde o ano passado, com a piora do cenário econômico, temos sofrido com a questão de continuar ou não na F1", completou. "Estamos saindo da categoria completamente. Dou minhas completas desculpas aos fãs da Toyota por não atingirmos os objetivos que traçamos".

A decisão da maior montadora do mundo de deixar a categoria vem num momento em que a indústria automotiva começa a se estabilizar após queda nas vendas em meio à crise financeira. A saída da Toyota como equipe e fornecedora de motores, porém, é outro golpe na Fórmula 1 depois que a segunda maior montadora do Japão, a Honda, anunciou sua retirada da categoria em dezembro do ano passado.

No comunicado, a empresa confirmou as informações publicadas pelo jornal japonês Mainichi e se une a outras marcas japonesas que decidiram abandonar o automobilismo, como Honda na Fórmula 1, Suzuki e Subaru no Mundial de Rally, e fabricante de motos Kawasaki, na MotoGP. A Toyota tinha planos de continuar na categoria até 2012, mas a "grave situação econômica atual", como assinala na nota, provocou sua retirada da modalidade mais famosa do automobilismo mundial.

Com informações da Reuters.

Tadashi Yamashina, porta voz da equipe japonesa, se emociona com a retirada
Tadashi Yamashina, porta voz da equipe japonesa, se emociona com a retirada
Foto: Reuters
EFE   

compartilhe

publicidade
publicidade