0

Force India é uma das opções para Bruno Senna em 2013

1 nov 2012
15h54
atualizado em 2/11/2012 às 00h24
Henrique Moretti

Com o futuro indefinido na Williams, Bruno Senna estuda outras opções para seguir a carreira na Fórmula 1 em 2013. Segundo a assessoria do piloto, a Force India aparece como uma das possibilidades para o brasileiro, cujo contrato com a equipe inglesa se encerra nesta temporada.

» De "reta curva" a sabão no banheiro; veja gafes de Galvão na F1

Bruno Senna, 29 anos, ainda não foi informado se continuará na Williams para o ano que vem. Em agosto, a revista britânica Autosport definiu como "provável" a sua substituição pelo finlandês Valtteri Bottas, 23 anos, atual reserva da escuderia. O outro piloto da Williams é o venezuelano Pastor Maldonado, que conta com o apoio da petrolífera estatal de seu país PDVSA e deve ter a permanência confirmada.

Por contrato, Bottas substitui Bruno Senna no primeiro treino livre de 15 das 20 etapas da F1 em 2012. Campeão da GP3 em 2011, o finlandês é empresariado pelo ex-piloto finlandês Mika Hakkinen, bicampeão mundial pela McLaren em 1998 e 1999, e pelo austríaco Toto Wolff, atual diretor-executivo da Williams.

Como ainda não há garantias para a próxima temporada, os representantes do sobrinho de Ayrton Senna já começaram a "investigar possibilidades" fora da equipe de Grove, segundo a assessoria do piloto. A melhor opção seria a Force India, que em 2013 perderá o alemão Nico Hulkenberg para a Sauber, notícia oficializada nesta quarta-feira.

Também nesta quarta, a Toro Rosso anunciou a manutenção do australiano Daniel Ricciardo e do francês Jean-Éric Vergne. Red Bull (com o alemão Sebastian Vettel e o australiano Mark Webber), Ferrari (com o espanhol Fernando Alonso e o brasileiro Felipe Massa), McLaren (com o britânico Jenson Button e o mexicano Sérgio Pérez) e Mercedes (com o britânico Lewis Hamilton e o alemão Nico Rosberg) já confirmaram a dupla de pilotos para 2013.

A Force India deve manter o britânico Paul di Resta, enquanto que a Sauber poderia promover a titular o atual reserva mexicano Esteban Gutiérrez, visto que é patrocinada pela empresa de telecomunicações Telmex, com sede na Cidade do México. Na Lotus, o finlandês Kimi Raikkonen seguirá para o ano que vem, enquanto que o francês Romain Grosjean provavelmente trilhará o mesmo caminho - a escuderia tem patrocínio da petrolífera francesa Total, que apoia a carreira de Grosjean. Este ainda é ligado à Gravity Sport, empresa luxemburguesa de marketing esportivo do Grupo Genii, dono da Lotus.

A assessoria de Bruno Senna negou ainda ter informações sobre o eventual interesse do piloto em, no caso de ficar sem vaga em uma equipe média da F1, tentar o futuro em um time considerado pequeno - Caterham, Marussia ou HRT, que jamais pontuaram na história da categoria.

Nesta quinta-feira, o site Grande Prêmio publicou que a Williams já teria confirmado ao brasileiro que ele não continuará na equipe no próximo ano, informação negada pela assessoria do piloto.

Assessoria de Bruno Senna confirma que piloto estuda outras opções além da Williams
Assessoria de Bruno Senna confirma que piloto estuda outras opções além da Williams
Foto: AP
Fonte: Terra
publicidade