publicidade
23 de novembro de 2012 • 19h06

Massa elogia Schumacher, mas aprova adeus e entrega elogio de Hamilton

Schumacher disputa no Brasil sua última etapa da carreira na F1 Foto: Getty Images
Schumacher disputa no Brasil sua última etapa da carreira na F1
Foto: Getty Images
 
EMANUEL COLOMBARI
Direto de São Paulo

Dois dias antes da despedida de Michael Schumacher das pistas de Fórmula 1, Felipe Massa teceu comentários elogiosos ao experiente alemão da Mercedes. Ex-companheiro de Ferrari de Schumacher na temporada 2006, Massa vê críticas exageradas diante do desempenho do heptacampeão após o retorno às pistas com a Mercedes, em 2010.

» De "reta curva" a sabão no banheiro; veja gafes de Galvão na F1

"É um piloto excepcional, que tem quase todos os recordes da Fórmula 1. Às vezes, as pessoas podem se esquecer do que ele fez, (dizendo) 'ele não era isso'. Ele era isso", enfatizou o brasileiro.

Massa, porém, reconheceu que Schumacher não consegue repetir em 2012, aos 43 anos, o bom desempenho do início da última década (quando conquistou cinco títulos mundiais). Por isso, vê a aposentadoria como um fato natural e acredita que o próprio Schumacher encara o afastamento das pistas de forma menos traumática do que quando o fez pela primeira vez, ao fim de 2006.

"Se você perder um detalhe, acaba perdendo um certo valor. A gente não vê um jogador (de futebol) de 43 anos jogando no melhor de sua carreira. O esporte é assim", afirmou.

Ao elogiar Michael Schumacher, Massa entregou também um diálogo mantido com Lewis Hamilton, da McLaren, na véspera. Durante entrevisat dos pilotos na manhã da quinta-feira, Massa e Hamilton se sentaram lado a lado em uma bancada atrás de Schumacher, que se sentou entre Fernando Alonso e Sebastian Vettel.

"Ele apontou o boné do Schumacher e disse: 'olha quanta estrela'", contou Massa, lembrando as sete estrelas de campeonatos mundiais (1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004) bordadas no boné do alemão. "Eu disse: campeonato pra cacete, né?'"

Terra