0

Pai de Bianchi sobre sofrimento por saúde de filho: tortura

13 jul 2015
09h48
atualizado às 10h34
  • separator
  • 0
  • comentários

O drama segue para a família de Jules Bianchi. O pai do piloto francês, Philippe Bianchi, voltou a relatar a difícil situação de lidar com o estado vegetativo em que seu filho se encontra após nove meses do grave acidente ocorrido durante o GP do Japão, em Suzuka. Para Philippe, a morte seria menos dolorida do que viver com as possíveis sequelas em caso de uma recuperação de seu herdeiro.

O acidente de Jules Bianchi aconteceu após o francês ter perdido o controle de sua Marussia na chuvosa corrida em Suzuka. Ele saiu da pista e colidiu com força no trator que retirava a Sauber de Adrian Sutil, sofrendo um forte impacto em sua cabeça. O resultado foi a lesão axonal difusa, a qual mantém o piloto em coma. Bianchi ficou internado por cerca de um mês no Japão, sendo transferido em novembro para Nice, na França.

Jules Bianchi está em estado vegetativo nove meses após o acidente
Jules Bianchi está em estado vegetativo nove meses após o acidente
Foto: Mark Thompson / Getty Images

"A situação é insuportável. É uma tortura diária. Às vezes, sinto que estamos enlouquecendo, porque, para mim, certamente é mais cruel do que se ele tivesse morrido", relatou Philippe à France Info nesta segunda-feira.

"O tempo vai passando e agora estou mais confiante do que estava dois ou três meses depois do acidente, quando poderíamos esperar por uma reviravolta. Em algum momento, você precisa ter os pés no chão e admitir o quão séria é a situação", acrescentou.

Jules Bianchi sofreu gravíssimo acidente no GP do Japão
Jules Bianchi sofreu gravíssimo acidente no GP do Japão
Foto: Getty Images

O pai de Jules ainda declarou um temor em relação às possíveis sequelas que seu filho poderá ter que conviver caso saia do coma: "Tenho certeza de que não é o que ele gostaria. Já conversamos sobre isso. Ele disse que, se sofresse um acidente parecido com o do Michael Schumacher, se não conseguisse pilotar novamente, seria complicado de aceitar. Era a sua vida", encerrou.

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade