0

Por fim de processo, Sutil teria proposto "salário reduzido" à Lotus

31 jan 2012
10h20
atualizado às 11h18

O processo por lesão corporal movido por Eric Lux contra Adrian Sutil se encerrou nesta terça-feira com a condenação do alemão, que antes disso tentou de várias formas evitar o tribunal. Segundo as informações do site alemão T-online, Sutil propôs defender a equipe Lotus por um salário reduzido e também fazer doações a instituições de caridades que ajudam o continente africano em troca do dirigente abdicar do processo.

» Carros, equipes e pilotos: saiba tudo sobre a temporada 2012 de F1
»Saiba 20 motivos para assistir à temporada 2012 da F1

O piloto alemão é acusado de agredir Eric Lux, chefe-executivo do Grupo Genii, empresa dona da Lotus (ex-Lotus Renault), em uma boate em Xangai logo após o último Grande Prêmio da China, em 17 de abril de 2011. Ele usou uma taça de champanhe e causou um corte de cerca de 9 cm no pescoço do empresário.

Na sessão desta segunda-feira, no tribunal em Munique, Sutil se desculpou pelo ocorrido, mas não conseguiu a absolvição nesta terça: ele foi condenado a pagar uma multa de 200 mil euros (R$ 463 mil) a uma instituição de caridade, mas escapou da prisão: cumprirá 18 meses de suspensão condicional da pena.

Sutil, 29 anos, liderou a Force India em 2011 e terminou como o nono colocado do Mundial de Pilotos da F1 com 42 pontos, contra 27 do britânico Paul di Resta, seu companheiro de equipe. Mesmo assim, a escuderia preferiu dispensar o alemão e promover outro germânico, Nico Hulkenberg, que era piloto de testes.

O nome de Sutil chegou a ser especulado na própria Lotus e na Williams, mas não acertou com nenhuma dessas equipes. Oficialmente apenas a Hispania ainda tem um assento disponível para a próxima temporada.

Imagem mostra Adrian Sutil durante julgamento
Imagem mostra Adrian Sutil durante julgamento
Foto: AP
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade