2 eventos ao vivo

Senna 50 anos: Terra mostra como o ídolo estaria hoje

21 mar 2010
07h16
atualizado às 08h49
  • separator
Dassler Marques

Dezenas de amigos estão todos em volta da mesa. Maurício Gugelmin, diretores do antigo Banco Nacional, da equipe Honda, Gerhard Berger e Ron Dennis: radiante ao lado da mulher e dos dois filhos, Ayrton sopra as velinhas de números cinco e zero. É uma festa reservada e breve, já que o ex-piloto e agora chefe de equipe pretende aproveitar a semana vindoura para recolocar seu jet ski no mar de Angra dos Reis e se atualizar sobre as novidades do Instituto.

Se estivesse vivo neste domingo, 21 de março de 2010, provavelmente seria assim que Ayrton Senna celebraria suas cinco décadas de vida. A fatídica curva Tamburello, 1º de maio no circuito de Ímola, impediu que a cena fosse real. Mas nem por isso o Terra não fez esse exercício de imaginação.

Na foto que tenta imaginar como estaria Ayrton Senna nos dias de hoje, se vê um sujeito com o rosto marcado pelo tempo, mas com o ar de aventureiro ainda intacto. As disputas nas pistas e a vida agitada também marcaram seu cabelo, bem mais grisalho que nos tempos das pistas.

A irmã Viviane Senna descarta que Ayrton ficaria distante do paddock. "Ele tinha um ritmo sempre agitado. Hoje estaria vinculado a qualquer coisa do automobilismo. Não correndo, mas vinculado a alguma equipe ou trabalho relacionado à Fórmula 1", diz ao Terra.

Para ela, os hobbies de Ayrton seguiriam os mesmos. "Nas horas vagas, descansaria andando de jet ski, de bicicleta, fazendo aeromodelismo ou jogando tênis", conta.

Viviane crê em um Ayrton até hoje com a vida agitada. Se os 50 anos pesariam para ele? "Nem um pouco! Ele era assim desde pequeno (risos). Vivia com as canelas roxas, galos na cabeça...não sei se você já viu, mas aqueles galos roxos e altos. Ele batia a cabeça, a perna...estava sempre agitando", acelera a irmã do tricampeão. "Para colocá-lo em casa era preciso uma equipe de resgate. Era uma criança muito ativa".

A pista para o sucesso do irmão no automobilismo, para ela, é justamente essa personalidade. "Depois de adulto ele acalmou, mas descarregava essas energias nas corridas e no treino. Não era de sentar e ler um livro", conta. Até porque não há disponível um manual com as ultrapassagens que Ayrton fazia...

Os 50 anos provavelmente teriam acalmado o lado galanteador de Senna, que namorou beldades como Adriane Galisteu e Xuxa Meneghel. É no que acredita Viviane: "a gente nunca sabe, mas ele pensava em ter família, gostava dessa ideia. Nessa altura do campeonato, acredito que estaria casado".

Poucas pessoas ligadas à Ayrton acreditam que o piloto estaria distante de seu Instituto. "Quando ele me falou sobre isso, foram dois meses antes do acidente. Ele fazia alguma doação, mas era algo mais pontual, sem organização. Então queria algo mais sistematizado. Apenas não deu tempo", lamenta Viviane. A irmã acredita que o tricampeão teria participação no projeto, bastante solidificado nos dias atuais.

"Ele não estaria na operação, mas estaria bem envolvido. Faria parte", diz convicta. "Ele é o símbolo de uma pessoa bem sucedida e não estava feliz em um país onde a maioria das pessoas não têm oportunidade. Ele queria dividir essa chance que teve na vida, de estudo e preparo".

"O que a gente precisa é deixar de ser exceção", diz Viviane. Para os brasileiros, só há a certeza que de Ayrton Senna foi a exceção.

O maior cartão do mundo para o campeão:

O Instituto Ayrton Senna pretende montar o maior cartão de aniversário do mundo. É preciso postar uma mensagem de parabéns para ele no Twitter com o complemento #senna50 ou visitar diretamente o site do tricampeão. As 10 melhores mensagens recebem um kit e a vencedora ganhará a réplica de um capacete de Ayrton.

Aos 50, Senna exibiria cabelos grisalhos e rosto marcado pelo tempo, mas ainda com ar de aventureiro
Aos 50, Senna exibiria cabelos grisalhos e rosto marcado pelo tempo, mas ainda com ar de aventureiro
Foto: Art by Terra
Fonte: Redação Terra
publicidade