Edições anteriores
Fórmula 1 2005
Fórmula 1 2004
Boletim
Receba as últimas notícias em seu email
Fale Conosco
Mande suas críticas e sugestões. Participe!
Fórmula 1 2006
Segunda, 9 de abril de 2007, 09h17 
Sucesso em Sepang devolve Alonso ao topo da F1
 
Alan Baldwin
 
 Últimas de Fórmula 1 2006
» Fernandes diz que briga pelo nome Lotus por torcedores
» Indiano conta que passou informações sobre a pista para Webber
» Antes de voltar à rotina de competições, piloto confere evento do qual é padrinho
» Chefe da Ferrari vê lado bom de ter apenas Fernando Alonso na disputa pelo título
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O Grande Prêmio da Malásia, no domingo, foi uma vingança para Fernando Alonso, Lewis Hamilton e, acima de tudo, para a McLaren.

Não há mais dúvida de que o bicampeão Alonso fez uma mudança astuta ao trocar a Renault para uma equipe que não venceu provas em 2006. E não há mais incerteza sobre a sabedoria da McLaren de apontar o novato Lewis Hamilton, de 22 anos, para ser o seu companheiro de equipe.

Sepang, que viu Alonso e Hamilton fazerem a primeira dobradinha da McLaren desde setembro de 2005 e a primeira vitória da equipe desde outubro daquele ano, encerrou uma fase difícil para a equipe impulsionada por motores Mercedes e abriu uma nova etapa, potencialmente gloriosa.

A vitória cimentou a volta da equipe ao topo. Já a campeã Renault, vencedora dos dois títulos e que dominou na Malásia nos últimos dois anos, perdeu o rumo.

"É uma surpresa maravilhosa o que conseguimos em um período tão curto", disse Alonso na coletiva de imprensa depois da prova em que recuperou a liderança no campeonato, passando Kimi Raikonnen, da Ferrari, e ampliando a posição da McLaren na disputa entre equipes.

"Houve muito trabalho dentro da equipe, muito esforço de todos para estarmos prontos para a primeira corrida, mas não esperávamos ser tão competitivos. É algo difícil de acreditar", disse o espanhol.

EXPECTATIVAS

Alonso anunciou no final de 2005, quando ganhou seu primeiro título, que estava indo para a McLaren e agora é fácil esquecer como isso não parecia promissor.

O piloto de 25 anos ganhou seis das nove primeiras corridas com a Renault em 2006 e terminou em segundo nas outras três.

Seu ex-companheiro de equipe, Giancarlo Fisichella, que ganhou na Malásia no ano passado, terminou em sexto em Sepang no domingo e disse que sentiu como se tivesse subido ao pódio, devido às dificuldades atuais da campeã.

A batalha deste ano é claramente entre McLaren e Ferrari, que venceu na Austrália, e os temores da pré-temporada a respeito da maturidade de Hamilton para a batalha parecem agora engraçados.

O britânico fez a diferença no domingo, com outra largada sensacional, deixando as duas Ferraris para trás nas primeiras curvas, decidindo o resultado da corrida.

Alonso saltou na frente, e Hamilton ignorou Felipe Massa com uma Ferrari e manteve Raikkonen longe na outra.

Terceiro na primeira prova, em Melbourne, segundo em Sepang. A questão agora é se poderá vencer no Barein, no próximo fim de semana.

"Achava ao vir para a Fórmula 1 que chegar em sexto ou sétimo na primeira corrida seria ótimo para nós," disse o orgulhoso pai, Anthony, no domingo.

"Chegar em terceiro em Melbourne e em segundo aqui é louco. Estou com medo do que vai acontecer em seguida".

O jovem, primeiro piloto a subir ao pódio nas suas duas primeiras provas desde o compatriota Peter Arundell, em 1964, voltou a conter as expectativas.

"É preciso ir passo a passo", disse. "Esta é mais uma marca no aprendizado e com certeza a próxima tem que ser uma vitória, mas temos que seguir juntos como uma equipe."
 

Reuters

Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.