Fórmula 1 2007

Fórmula 1 2007

Quinta, 13 de setembro de 2007, 14h35  Atualizada às 15h04

McLaren leva multa e perde pontos; pilotos ficam livres

AP

Reunião do Conselho Mundial de Automobilismo foi em Paris
Busca
Saiba mais na Internet sobre:
Faça sua pesquisa na Internet:

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou, nesta quinta-feira, em Paris, após a reunião do Conselho Mundial de Automobilismo, a punição da McLaren, pivô no caso de espionagem sobre a rival Ferrari. A equipe, que deverá pagar em até 90 dias uma multa de US$ 100 milhões (cerca de R$ 189 milhões), também foi eliminada da disputa do Mundial de Construtores da atual temporada da Fórmula 1.

» Anúncio falso de exclusão
da McLaren agita a Fórmula 1

» Confira momentos-chave
da polêmica de espionagem

» Opine: você concorda com pena imposta à McLaren?

A McLaren perdeu todos os pontos conquistados até agora na competição. Já os pilotos do time, o espanhol Fernando Alonso e o inglês Lewis Hamilton, foram inocentados e permanecem com seus pontos no Mundial de Pilotos. Assim, a equipe inglesa e seus competidores poderão disputar as quatro últimas etapas do ano. No entanto, qualquer ponto conquistado será válido apenas para a classificação geral dos pilotos.

Além disso, a McLaren terá de submeter em dezembro o carro para a temporada 2008 à FIA e provar que não foi copiado nada dos projetos da Ferrari.

A escuderia inglesa chefiada por Ron Dennis poderá ainda recorrer da decisão da entidade no prazo de 24 horas. A decisão será tomada em reunião dos dirigentes com os seus advogados.

Na reunião do Conselho Mundial de Automobilismo, a McLaren contou com as presenças do inglês Lewis Hamilton, do reserva espanhol Pedro de la Rosa e dos dirigentes Ron Dennis e Norbert Haug. A ausência ficou por conta do espanhol Fernando Alonso, que preferiu partir para Spa-Francorchamps, sede da próxima etapa.

A Ferrari, por sua vez, levou o ex-diretor técnico Ross Brawn para tentar pressionar à FIA para uma punição mais severa para a McLaren.

Espionagem

A polêmica surgiu no início da temporada quando foi descoberto que Nigel Stepney, chefe dos mecânicos da Ferrari, estaria passando informações sigilosas para a McLaren.

Inicialmente, a escuderia britânica escapou de uma punição por alegar que as informações de Stepney não teriam sido usadas e/ou passadas aos diretores e comandantes do time. O principal acusado era Mike Coughlan, projetista da McLaren.

No entanto, a Ferrari recorreu da decisão e a imprensa européia publicou que Coughlan passou as informações tanto para a direção da McLaren como para alguns pilotos, como os espanhóis Pedro de la Rosa e Fernando Alonso.

Esse é mais um capítulo do momento conturbado da McLaren. Apesar de já ter vencido sete corridas neste ano, a escuderia também é palco de briga interna entre os seus pilotos Alonso e Hamilton. No GP da Hungria, a equipe ficou impedida de somar pontos após uma confusão no treino de classificação.

Redação Terra