0

Avaí faz 6 na Chapecoense e é campeão após 12 anos

3 mai 2009
18h40
atualizado às 22h00

A torcida do Avaí pôde, enfim, gritar "é campeão". Após 12 anos de jejum no Estadual, o time conquistou o Campeonato Catarinense 2009, neste domingo, no Estádio ressacada, com uma vitória por 6 a 1 sobre a rival Chepecoense (3 a 1 no tempo normal e 3 a 0 na prorrogação). Esse foi o 14º título catarinense da história do Avaí.

» Veja mais fotos da final
» Baixe o pôster de campeão do Avaí
» Comente a conquista do Avaí

Pressionados pela torcida após a derrota por 3 a 1 no jogo de ida, o Avaí entrou em campo nervoso e, para piorar, viu a Chapecoense abrir o placar no início do duelo. Daí em diante, no entanto, o camisa 10 Marquinhos comandou a reação do time anfitrião, que, pelo regulamento, precisava vencer o duelo no tempo normal e apenas empatar na prorrogação.

A última conquista estadual do Avaí, que neste ano voltará a disputar a primeira divisão do Campeonato Brasileiro, havia sido em 1997. De lá para cá, o clube e a torcida amargaram um jejum de 12 anos e viram o rival Figueirense assumir o posto de maior vencedor do Estado, com 15 taças.

Neste ano, o Avaí começou o Estadual preocupando a torcida: no 1º turno, ficou na sexta posição. A recuperação veio no returno, com a primeira posição garantida. No quadrangular que decidiria os dois finalistas do torneio, o time da Ressacada também foi superior: passou à decisão como líder. Na classificação geral, que é a soma dos pontos no turno, returno e quadrangular, o Avaí foi supremo: 46 pontos, contra 44 da Chapecoense.

No jogo deste domingo, a torcida do Avaí levou um susto logo aos 9min: Rômulo, atleta da Chapecoense, abriu o placar. O time visitante, que jogava pelo empate, adquiriu a vantagem de poder tomar um gol.

Assim, o Avaí pressionou, mas todas as tentativas paravam na zaga ou nas mãos do goleiro Nivaldo. O empate só veio aos 31min, com Evando. No entanto, os donos da casa ainda precisavam de mais um gol para levar a partida para a prorrogação.

A missão ficou mais difícil a partir dos 44min do primeiro tempo, quando Marcus Vinícius fez falta em Neném e recebeu o cartão vermelho do árbitro Luiz Orlando de Souza.

Jogando com um atleta a mais, tudo indicava que a Chapecoense dominaria a segunda etapa. Mas o Avaí voltou com força, mostrando grande disposição ofensiva. Aos 4min, Evando, autor do gol dos donos da casa, sofreu falta perto da área. Léo Gago foi para a cobrança, a bola desviou na barreira e enganou o goleiro Nivaldo: 2 a 1.

Agora, a Chapecoense precisava de um gol para evitar a prorrogação. Mas a situação ficou mais difícil: Willian Amaral foi expulso, deixando igual o número de jogadores para cada equipe. O Avaí aproveitou e aumentou a diferença: Marquinhos, que antes do jogo era dúvida, recebeu bola de Evando e arrematou no ângulo esquerdo do goleiro.

O tempo regulamentar terminou com a vitória do Avaí por 3 a 1, o que obrigou que uma prorrogação fosse feita para se decidir o campeão. No tempo extra, a Chapecoense parece ter esquecido como se joga bola: logo aos 8min, Marquinhos cabeceou bola cruzada por Lima e fez o quarto.

Quatro minutos mais tarde, foi a hora de Lima marcar. Ele recebeu a bola e chutou forte, no ângulo. No último minuto do primeiro tempo, o Avaí marcou mais um, por intermédio de Ferdinando.

No segundo tempo da prorrogação, o Avaí apenas administrou a vantagem. Mesmo assim, Lima queria jogo e foi para cima de Anderson Lima, que fez pênalti. O técnico Silas permitiu que o goleiro Martini cobrasse, mas o arqueiro, não tendo intimidade com a bola nos pés, chutou para fora.

Com informações da Gazeta Press

Avaí volta a comemorar um título estadual após longo período de jejum
Avaí volta a comemorar um título estadual após longo período de jejum
Foto: Cristiano Andujar / Futura Press
Fonte: Terra
publicidade