0

CBF pode unificar títulos nacionais desde 1959 ainda em 2010

13 dez 2010
12h13
atualizado às 16h05

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pode aproveitar o período de férias do futebol brasileiro e divulgar se aceita ou não o pedido de Palmeiras, Santos, Cruzeiro, Bahia, Fluminense e Botafogo pela unificação dos títulos brasileiros, em campeonatos disputados a partir de 1959.

O dossiê e um vídeo, apresentados em 2009 pelos seis clubes, só chegaram às mãos de Ricardo Teixeira, presidente da CBF, em novembro deste ano. Na posse do documento, o dirigente pediu 60 dias para "analisar e conferir a legalidade da iniciativa". Mas a decisão pode sair ainda em 2010.

Caso tenha o título da Taça Brasil de 1959 oficializado, o Bahia vai "roubar" do Atlético-MG o posto de primeiro campeão brasileiro. Para o clube baiano, uma decisão positiva da CBF pode coroar 2010.

"Nosso principal objetivo este ano era o acesso. Se a CBF aceitar o pedido e nos tornarmos bi brasileiros, 2010 terá sido perfeito", afirmou Elizeu Godoy, superintendente de futebol do Bahia.

O presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella, não esconde a ansiedade para que o clube, campeão brasileiro em 2003, tenha o título da Taça Brasil de 1966 reconhecido. "Estou bem convicto de que até o fim de dezembro a torcida do Cruzeiro receberá um presente, que é o reconhecimento deste título", disse.

Otimista, o presidente do Santos, Luís Álvaro de Oliveira, relembra o encontro dos clubes com Ricardo Teixeira, em novembro. "Saímos todos otimistas. O Teixeira gostou muito do que mostramos, chegou a nos dizer que tivemos ótimos cabos eleitorais", ressaltou.

O Fluminense, atual campeão brasileiro, já registrou na arquibancada das Laranjeiras o título de tricampeão brasileiro e agora torce para que a CBF considere a Taça de Prata de 1970 um título nacional.

Caso a CBF considere os títulos anteriores a 1971, título de 2010 será o terceiro brasileiro do Flu
Caso a CBF considere os títulos anteriores a 1971, título de 2010 será o terceiro brasileiro do Flu
Foto: Agência Lance
Fonte: Lancepress!

compartilhe

publicidade