2 eventos ao vivo

Baltimore Ravens vence o San Francisco 49ers e fatura o Super Bowl XLVII

4 fev 2013
01h55
atualizado às 02h06

O Baltimore Ravens é o grande campeão do Super Bowl XLVII. A equipe comandada por John Harbaugh (irmão do técnico do San Francisco 49ers, Jim Harbaugh) dominou o primeiro tempo de jogo no Superdome, em Nova Orleans (EUA), sobreviveu à reação do rival e até mesmo a um blecaute no segundo tempo para conquistar o seu segundo título da NFL: 34 a 31.

O linebacker Ray Lewis, considerado o maior defensor de todos os tempos da liga, encerra a sua carreira, desta forma, com o seu segundo título. Em 2000, ele já havia conduzido o mesmo Ravens ao título sobre o New York Giants.

Depois de derrubar favoritos como o Denver Broncos, de Peyton Manning, e o New England Patriots, de Tom Brady, a equipe espantou o último "fantasma" em seu caminho, e impôs a primeira derrota da história do 49ers em Super Bowls.

O JOGO

Dois tempos completamente distintos compuseram o Super Bowl XLVII. No primeiro deles, o domínio foi do Baltimore Ravens, que ensaiou fazer nesta final o que fez há 12 anos, quando conquistou o título sobre o New York Giants por arrasadores 34 a 7.

A primeira posse de bola da equipe de Baltimore já deu mostras do que estava por vir. Em 2m29, Joe Flacco orquestrou o ataque rumo à end zone rival. O passe de 13 jardas para Anquan Boldin coroou a campanha com os primeiros sete pontos do jogo.

Grande destaque destes playoffs, o quarterback do 49ers, Colin Kaepernick, não teve respostas. Sufocado pela defesa rival, não conseguiu passar para nenhum touchdown na primeira metade de jogo. Um field goal ainda no quarto inicial deixaria o jogo 7 a 3. Mas não seria suficiente para equilibrar as ações.

O segundo quarto teve nome e sobrenome: Joe Flacco. Longe de ser dos mais consagrados da liga, Flacco jogou como os grandes da história. Um passe de uma jarda para Dennis Pitta e outro de 56 jardas para Jacoby Jones, a 1m58 do fim do segundo quarto, deixaram a partida 21 a 3 para o Ravens. Jogadas que seriam "assinadas" por Joe Montana, Tom Brady e outros grandes do Super Bowl.

Novo field goal do San Francisco, após boa campanha - mas incompleta - conduzida por Colin Kaepernick fechou o placar do primeiro tempo em 21 a 6 para o Ravens.

O show do intervalo, conduzido pela cantora pop americana Beyoncé empolgou a torcida presente ao Superdome, em Nova Orleans. Além de deixar boquiaberto todo o público, parece que ela também desconcentrou a equipe da Costa Oeste.

O chute inicial do segundo tempo protagonizou o touchdown mais longo da história do Super Bowl. Jacoby Jones, dono de uma recepção crucial no primeiro tempo, retornou a bola oval para 108 jardas. Um ponto de exclamação que deixou o jogo 28 a 6, e que reforçou a impressão de que um massacre se encaminhava. Mas...

APAGÃO

"Where amazing happens" (onde o incrível acontece, em livre tradução para o português) é um lema bastante comum, adotado pela NBA. No entanto, caberia facilmente à decisão da NFL que ocorreu neste domingo. Espera-se de tudo de uma partida deste porte, menos que a luz acabe.

A 13m28 do fim do terceiro quarto, a escuridão tomou conta do Superdome. Um blecaute afetou a cidade de Nova Orleans e o estádio que recebeu o Super Bowl. A paralisação perdurou 35 minutos e levou consigo o ânimo do Baltimore Ravens.

SAN FRANCISCO RENASCE

O apagão contagiou o Baltimore Ravens. Não há outra forma para definir o que se viu a seguir. A precisão de Joe Flacco desapareceu, e ele foi ofuscado pela coragem do quarterback rival. Colin Kaepernick tratou de confirmar a todos o porquê colocou Alex Smith no banco durante a temporada regular.

O passe de 31 jardas para Michael Crabtree trouxe a vantagem do Ravens para 28 a 13. Pressão da defesa do 49ers, e a equipe de Baltimore foi obrigado a devolver a bola. Um ótimo retorno de Ted Ginn Jr. deixou o time da Califórnia novamente às portas da end zone.

Mais duas jogadas e Frank Gore caminhou para trazer a diferença para apenas uma posse de bola: 28 a 20. Um field goal de David Akers ainda diminuiria mais três pontos, a medida em que o terceiro quarto chegava ao fim de uma forma que nem o mais otimista torcedor do 49ers imaginaria, com só cinco pontos de desvantagem.

ÚLTIMO PERÍODO

Flacco iniciou o último quarto pressionado. As jogadas que o consagraram na etapa incial já não funcionavam da mesma maneira. Agora era o quarterback do Ravens que não possuía respostas. Ele só conseguiu levar seu time a dois field goals na etapa derradeira. Um deixou a vantagem em 31 a 23. O outro, após sofrer novo touchdown do San Francisco, trouxe a vantagem para 34 a 29.

Com quatro minutos faltando no relógio, Colin Kaepernick fez de novo o que dele se esperava. Conseguiu conduzir seu time até a porta da endzone do Ravens. Ao todo, ele conseguiu mais de 300 jardas aéreas, grande parte delas na segunda etapa de jogo.

No entanto, o esforço foi insuficiente. A 2 minutos do fim do jogo, a equipe da Califórnia teve quatro tentativas dentro da linha de dez jardas do rival. Como não conseguiu entrar, devolveu a bola para o Baltimore Ravens. O San Francisco 49ers ainda conseguiria um safety (derrubar o rival em sua própria end zone), e diminuiu o placar para 34 a 31. Fim de jogo. Fim da carreira de Ray Lewis - bicampeão do Super Bowl com o Baltimore Ravens.

Fonte: Lancepress! Lancepress!

compartilhe

publicidade
publicidade