1 evento ao vivo

Campeões de 1963 esperam igualar futebol com 'prêmio' de R$ 100 mil

25 mai 2013
18h31

Os protagonistas dos três primeiros títulos mundiais de futebol, beneficiados pela Lei Geral da Copa, receberam R$ 100 mil como uma espécie de indenização por parte do governo federal. Liderados pelo ex-jogador Paulista, os campeões mundiais de basquete de 1963  esperam contar com o mesmo reconhecimento.

Baseado no benefício concedido aos boleiros, Paulista entrou em contato com Carlos Nunes, presidente da Confederação Brasileira de Basquete (CBB), que transmitiu a reivindicação do ex-jogador a Aldo Rebelo, ministro do Esporte, e Garibaldi Alves, ministro da Previdência.

A saída encontrada para premiar os ex-jogadores de basquete é a confecção de uma revista sobre o bicampeonato. O projeto foi orçado em R$ 1,256 milhão, dos quais R$ 56 mil serão usados efetivamente para elaborar a publicação e R$ 1,2 milhão serão divididos entre os 12 campeões - o valor seria repassado pelo Ministério do Esporte.

"Como deram para os campeões do futebol, nós estamos pleiteando com todo o direito. Os campeões mundiais de outros esportes devem contar com a mesma consideração do pessoal do futebol. O projeto da revista já foi aprovado. A coisa está bem encaminhada e vamos conseguir", afirmou Paulista, otimista.

Ele espera encontrar Aldo Rebelo após a realização da Copa das Confederações para discutir detalhes do projeto que beneficiará o basquete. A ideia do ex-jogador era incluir os campeões de 1959 e até a Seleção feminina de 1994, mas a princípio apenas os protagonistas de 1963 e seus sucessores legais serão contemplados."Não tenho nada contra o futebol e também sou torcedor, mas a importância que dão ao futebol e aos outros esportes no Brasil é muito desproporcional", afirmou Wlamir Marques. "Espero que não fique tudo no discurso. Não estamos morrendo de fome, mas se foi dado ao futebol, por que não ao basquete?", questionou.

No cinquentenário do bicampeonato, os ex-jogadores, em mais um projeto capitaneado por Paulista, preparam um documentário. O filme, a ser lançado no segundo semestre de 2013, foi orçado em aproximadamente R$ 1,4 milhão, dos quais 25% serão divididos entre os campeões.

No total, 51 ex-jogadores dos títulos alcançados pelo futebol em 1958, 1962 e 1970 ou seus sucessores legais receberam R$ 100 mil como indenização. Mediante apresentação de documentação atualizada, os veteranos ainda requerem uma pensão vitalícia de R$ 4,1 mil. Segundo Paulista, os campeões do basquete não preenchem os requisitos para ganhar um valor mensal.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade