0

Huertas cobra manutenção para basquete da Seleção seguir crescendo

22 ago 2012
18h20
  • separator

Depois de 16 anos, o basquete brasileiro masculino voltou às Olimpíadas, e fez bonito ao ficar em quinto lugar nos Jogos de Londres. Para a modalidade seguir em alta até o evento no Rio de Janeiro, em 2016, Marcelinho Huertas pede para que grande parte da equipe seja mantida, mesmo que a idade de alguns já esteja avançada.

"O fator físico é importante, mas não é o mais. Exemplo disso é o time da Argentina, que nos venceu nas Olimpíadas e tem média de idade avançada. Depende de como cada um cuida do seu corpo", justificou em entrevista ao Sportv.

Apesar do pedido de Huertas, nesta quarta-feira Marcelinho Machado, aos 37 anos, anunciou sua aposentadoria da Seleção Brasileira. Por outro lado, a confederação da modalidade já confirmou a renovação do técnico Rubens Magnano até os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

"A renovação foi muito acertada e não tem ninguém que não concorde com isso. E será o Magnano quem decidirá o grupo que vai. Podem ter novidades naturais, que surgem durante Pré-olímpico, mas manter a base é a chave do sucesso nesse esporte", ensinou o atleta do Barcelona.

Aos 29 anos, Huertas atesta sua própria evolução durante os anos com a Seleção. "Até 2008, eu tinha um outro papel. Era mais jovem e meio secundário no time. A partir do momento que fui conquistando coisas e me aprimorando, comecei a jogar mais solto, descontraído, porque não tem aquele peso de sair do banco e ter que mostrar sua habilidade em apenas alguns minutos", declarou o jogador, titular na campanha que rendeu ao Brasil o quinto lugar nas Olimpíadas.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade