Mundial 2006

Mundial 2006

Sexta, 8 de setembro de 2006, 13h36  Atualizada às 13h41

Processado, Varejão diz que grego está falando besteiras

Busca
Saiba mais na Internet sobre:
Busque outras notícias no Terra:
Depois de tomar conhecimento de que o ala-armador Nikos Zisis entrará com processo contra ele, o pivô Anderson Varejão emitiu nota à imprensa mostrando indignação com as declarações do atleta do time grego.

No texto, o brasileiro diz que não encontra a razão pela qual o jogador quer entrar com esta ação e diz que já foi vítima de um choque e nem por isso tomou tal atitude.

Além disso, Varejão diz que o grego teve azar no lance e que ele deveria parar de falar besteiras, como tem feito, usando termos como "animal" e "assassino".

Zisis sofreu fraturas em ossos da face após se chocar com brasileiro em jogo da primeira fase do Mundial do Japão, realizado em agosto, e teve de ficar de fora da campanha da Grécia na competição, a qual se sagrou vice-campeã ao cair diante dos espanhóis.

Confira abaixo a nota enviada por Varejão:

"Tomei conhecimento pela imprensa das declarações de Nikos Zisis e fiquei surpreso e triste com tudo o que foi falado por ele. Zisis me acusou de desleal e mau-caráter, disse que eu o acertei de propósito e me taxou de 'animal' e 'assassino', e não havia respondido nada até então por não querer polemizar e por ter minha consciência tranqüila de que foi pura falta de sorte dele naquele lance, e entender que ele esteja abalado nesse momento por causa da contusão.

Mas acho que Zisis já passou um pouco dos limites com essa história, acho que já passou dos limites por tudo o que está falando e pelo rumo que as coisas estão tomando.

Agora vejo Zisis dizer que quer me processar, alegando um 'ato assassino' de minha parte, e está muito claro para mim o que ele realmente quer com isso tudo.

Zisis deveria saber que o basquete é um esporte de contato, de choques, e foi em um desses choques que ele se machucou, foi um lance normal de jogo, mas ele acabou se contundido.

Tanto que a arbitragem, e eram três árbitros na quadra, considerou como falta comum e ninguém se manifestou naquele momento. Por ver a gravidade da contusão ainda fui pedir desculpas a ele, mas Zisis me virou as costas.

É um absurdo que ele fique me culpando, me acusando de ter tido a intenção de atingi-lo, sempre fui um jogador leal, limpo, que respeitou os adversários e jogou na bola.

Ano passado, tive uma lesão grave na Copa América com a Seleção Brasileira que me deixou fora das quadras por seis meses e não tive que ficar procurando culpados para justificar minha contusão.

Acho que Zisis deveria fazer o mesmo, concentrar-se na sua recuperação e parar de ficar alimentando polêmica e falando besteiras.

Rio de Janeiro, 8 de setembro de 2006

Anderson Varejão".

Redação Terra