1 evento ao vivo

Ouro no Pan-87, Israel confia no momento da Seleção de basquete

28 ago 2012
10h55
atualizado às 11h16

Pivô da Seleção Brasileira de Basquete que conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de 1987, em Indianápolis, nos Estados Unidos, Israel foi um dos jogadores responsáveis por servir Oscar e Marcel dentro de quadra, as principais estrelas daquela geração.

Um dos grandes momentos dos Jogos Olímpicos de Londres, a final do torneio masculino de basquete consagrou a geração de Kobe Bryant, Lebron James e Cia. como uma das melhores da história. Sem dar o show que se esperava, os EUA venceram a Espanha por 107 a 100 e garantiram o bicampeonato olímpico. E, como não poderia deixar de ser, muitas celebridades, como a princesa Letizia, da Espanha (foto), compareceram à North Greenwich Arena para assistir a essa grande partida. Veja fotos:
Um dos grandes momentos dos Jogos Olímpicos de Londres, a final do torneio masculino de basquete consagrou a geração de Kobe Bryant, Lebron James e Cia. como uma das melhores da história. Sem dar o show que se esperava, os EUA venceram a Espanha por 107 a 100 e garantiram o bicampeonato olímpico. E, como não poderia deixar de ser, muitas celebridades, como a princesa Letizia, da Espanha (foto), compareceram à North Greenwich Arena para assistir a essa grande partida. Veja fotos:
Foto: Reuters

Para comemorar os 25 anos da conquista, a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) organizou uma festa para homenagear os campeões. Além dos títulos, Israel também relembrou como era o relacionamento entre os companheiros e destacou o fato de que todos na equipe sabiam da importância dos dois principais nomes do time e que não se importavam em jogar para eles pontuarem.

"Era um ambiente muito bom, com uma amizade grande entre todos. Todos entravam dispostos a jogar para ganhar, sem questionar o que esse ou aquele jogador iria fazer em quadra. Todos sabiam que se todos jogassem daquela forma, para os dois (Oscar e Marcel) fazerem pontos, nossas chances de vencer adversários fortes eram maiores. E se algum tivesse algo para falar, questionar, era no vestiário, nunca em público", relembrou.

Vinte e cinco anos após a conquista, o jogador vê de forma positiva a reestruturação pela qual passa a atual equipe nacional. Para Israel, a experiência dos jogadores que disputam a principal competição de basquete do mundo, a NBA, fará a diferença para as futuras conquistas.

"O Brasil vem buscando um grande resultado e vai conseguir. São jogadores experientes, que atuam na NBA e na Europa, e acredito que são por apenas pequenos detalhes que ainda não chegaram ao pódio. Mas vão conseguir isso em breve", comentou.

De acordo com o ex-jogador, a estruturação da Liga Nacional de basquete também é fundamental para que novos atletas surjam e, os que não conseguirem sair do País, possam atuar de forma competitiva.

"É só o técnico Rubén Magnano prosseguir com o que vem fazendo, além do forte trabalho realizado pela Liga Nacional. Acredito que assim, outros jogadores vão surgir e fortalecer ainda mais o grupo brasileiro", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

publicidade