0

Vexame duplo marca desempenho do basquete brasileiro no Pan

31 out 2011
08h53

O basquete brasileiro chegou a Guadalajara para a disputa dos Jogos Pan-Americanos credenciado pela conquista da vaga olímpica no masculino e no feminino. Nenhuma das duas equipes, no entanto, conseguiu evitar uma eliminação inesperada na competição. De uma forma ou de outra, as Seleções deram vexame e terminaram sem chances de ouro, ainda que as mulheres tenham conquistado o bronze.

Confira o quadro de medalhas
Assista aos vídeos do Pan de Guadalajara
Veja todos os ouros conquistados pelo Brasil
Escolha os vilões do Brasil no Pan

Sem preparação, Seleção masculina cai na primeira fase

Não havia por que duvidar do título brasileiro no basquete masculino em Guadalajara. Depois de vencer em Winnipeg (1999), Santo Domingo (2003) e Rio de Janeiro (2007), a equipe comandada por Rubén Magnano viajou ao México em festa pela medalha de prata conquistada no Pré-Olímpico da Argentina. O feito garantiu vaga na Olimpíada de 2012, encerrando jejum de 16 anos.

A expectativa começou a ser desconstruída na difícil vitória sobre o Uruguai, na estreia. Contra os Estados Unidos, o time chegou a abrir 16 pontos de vantagem, mas levou uma improvável virada. Mais improvável ainda foi a derrota que causou a eliminação, contra a República Domincana, adversário menos gabaritado e que estava 13 pontos atrás já no último quarto. A virada e a eliminação foram confirmadas, para o sofrimento do time brasileiro.

"Eu sempre falo que uma partida perdida é uma aprendizagem. Mas acho que hoje não aprendemos nada, porque em menos de 24 horas cometemos o mesmo erro da partida anterior (contra os Estados Unidos)", criticou Magnano, decepcionado. Ele explicou o fraco desempenho por conta da ausência de atletas e pela falta de preparação.

"Parece que isso (falta de preparação) é só uma desculpa que damos. Mas não é isso. Ganhando por 20 ou perdendo por 20, a preparação foi ruim. Tínhamos que treinar por pelo menos 15 dias antes daqui, jogar quatro ou cinco amistosos. Não tivemos isso. Tive que vir com alguns jovens e jogar e entrosar durante a competição", afirmou o treinador. Os brasileiros terminaram com a quinta colocação, depois de vencerem o Canadá.

"Apagão" tira Seleção feminina da final do Pan

Campeã invicta do Pré-Olímpico da Colômbia, no início de outubro, a Seleção Brasileira feminina dominou todos os adversários que teve pela frente na primeira fase. Mas um "apagão" na semifinal acabou com as chances de medalha de ouro. Por alguns minutos no segundo e terceiro quartos, o time simplesmente parou de funcionar, deixando Porto Rico acabar com a vantagem e conseguir a classificação com triunfo por 69 a 68.

"Essa era uma oportunidade de medalha de ouro que não vai voltar nunca mais. Era fácil diante dos adversários que tínhamos, mas deixamos escapar", afirmou a ala Iziane, que foi às lágrimas por conta do fracasso. Ela ainda culpou a arbitragem, que teria prejudicado o time na disputa: "foi um jogo 5 contra 8, os juízes foram para o lado de Porto Rico e nos prejudicaram. É um time pequeno que dificultou o jogo para a gente".

O vexame foi amenizado com a vitória fácil sobre a Colômbia na decisão do terceiro lugar, garantindo a medalha de bronze. "O mais importante é sair daqui com a cabeça erguida e que a derrota de ontem (quarta-feira, dia da semifinal contra Porto Rico) sirva para nós aprendermos", apontou a pivô Erika. Essa parece ser a mensagem que serve para ambos os times a alguns meses do início dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Fonte: Terra
publicidade