0

Botafogo bate Lusa e reassume a liderança

18 ago 2013
18h08
atualizado às 19h24

O Botafogo deixou de ser líder por 24 horas. Em partida disputada na tarde deste domingo, no Canindé, o time de General Severiano derrotou a Portuguesa por 3 a 1, e reassumiu a liderança do Campeonato Brasileiro, com 29 pontos ganhos, um a mais do que o Cruzeiro. A derrota manteve a Lusa em situação difícil na tabela de classificação. A equipe do Canindé segue com 13 pontos ganhos,na 18ª posição.

A Portuguesa entrou desfalcada de vários titulares, mas desperdiçou oportunidades claras de gol e acabou sucumbindo diante da maior categoria do adversário. O Botafogo começou muito mal, mas subiu de produção na etapa final e construiu a vitória que o mantém na ponta e invicto há oito partidas.

Os gols do Alvinegro foram marcados por Bolívar, Rafael Marques e Elias, enquanto Luis Ricardo, o melhor da sua equipe, marcou o único gol da Portuguesa.

Na próxima rodada, a Portuguesa vai encarar o Atlético-MG, em Belo Horizonte, enquanto o Botafogo vai visitar o Atlético-PR, em Curitiba.

O jogo - Desfalcada de vários titulares, a Portuguesa começou a partida acionando o lateral Luis Ricardo, improvisado no meio-campo, para forçar as jogadas pela direita e criar alguns problemas para a zaga alvinegra.

O Botafogo só conseguiu chegar à área lusa aos três minutos, em chute de Seedorf que Lauro defendeu com segurança. O troco da equipe paulista veio com Moisés que se aproveitou de uma sobra de bola para tentar a finalização, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora.O Botafogo cometia muitos erros na troca de passes e permitia que a Lusa ficasse mais tempo com a bola, pressionando a defesa alvinegra que concedeu quatro escanteios, em sequência.

Aos 11 minutos, Correa ganhou a dividida com Júlio César, penetrou pela direita e cruzou para a cabeçada de Moisés, mas a bola foi nas mãos do goleiro Jéfferson.

Dois minutos depois, Seedorf caiu na área em dividida com Valdomiro e pediu a marcação de um pênalti, mas o árbitro considerou o lance como normal.

Só depois dos 15 minutos é que o time carioca passou a se acalmar, tocar a bola com mais segurança e reduzir a pressão que vinha sendo exercida pela equipe paulista, mas a Portuguesa continuava mais agressiva. Aos 18 minutos, William Arão arriscou da intermediária para fácil defesa de Jéfferson.

Aos 25 minutos, a Portuguesa forçou pela esquerda e criou grande problema na defesa alvinegra, em cruzamento de Rogério que obrigou Bolívar a salvar para escanteio. Depois que a bola saiu, Seedorf e Gilberto se desentenderam, depois que o holandês reclamou do lateral-direito.

Luis Ricardo continuava sendo a melhor opção da equipe do Canindé, dando muito trabalho a Júlio César e forçando Gabriel a ficar permanentemente na cobertura do lateral, para evitar mais problemas. O Botafogo continuava mostrando pouca inspiração para trocar passes e criar situações de perigo para a defesa da equipe paulista. Aos 31 minutos, o lateral Rogério cruzou da esquerda para a penetração de Bruno Moraes, mas Jéfferson se antecipou para fazer a defesa. No minuto seguinte, o goleiro do Botafogo voltou a aparecer bem em cruzamento sobre a área.

Os jogadores do alvinegro carioca não mostravam inspiração e o goleiro Lauro não tinha qualquer trabalho, enquanto Jéfferson era obrigado a intervir constantemente. Aos 39 minutos, Bruno Moraes investiu pela esquerda e cruzou para a entrada de Jean Mota, mas Gilberto conseguiu salvar, desviando para escanteio.

Aos 44 minutos, Luis Ricardo recebeu na intermediária, ganhou de Júlio César, com facilidade, e bateu cruzado, para boa defesa de Jéfferson. No intervalo,o técnico Oswaldo de Oliveira e alguns jogadores do Botafogo cercaram o árbitro Alício Pena Júnior para reclamar. Na volta para o segundo tempo, o treinador alvinegro foi expulso de campo.O Botafogo voltou para a etapa final com um espírito diferente do mostrado no primeiro tempo. O time carioca se colocou de forma mais adiantada, tentando atrapalhar a saída de bola da equipe da casa, mas seguia com dificuldades para construir jogadas de ataque, principalmente por causa da atuação irregular de Seedorf.

A Portuguesa mantinha o mesmo esquema tático e a mesma disposição, explorando sempre os lançamentos para Luis Ricardo que levava vantagem no duelo com o lateral Júlio César.

Aos 16 minutos, Júlio César tentou dominar, perdeu a bola para Luis Ricardo e fez falta para impedir a arrancada do atacante. Na cobrança, Rogerío cabeceou para as redes, mas o lance foi invalidado, pela arbitragem que marcou impedimento do jogador da equipe paulista. Aos 20 minutos, o Botafogo marcou o primeiro gol. Seedorf cobrou escanteio, da esquerda, o goleiro Lauro saiu mal e Bolívar cabeceou para colocar o time alvinegro na frente do placar.

Dois minutos depois, Jean Mota chutou cruzado, Jéfferson defendeu parcialmente e Luis Ricardo concluiu por cima do travessão, sem qualquer perigo. O goleiro botafoguense voltou a salvar sua equipe, quando Jean Mota, dentro da área, chutou rasteiro, e Jéfferson defendeu com os pés.

A pressão aérea da Lusa deu resultado e, aos 25 minutos, Luis Ricardo marcou o gol de empate. Corrêa bateu escanteio pela direita e Luis Ricardo se antecipou aos zagueiros para meter a cabeça e vencer Jéfferson.

A alegria da Lusa durou pouco tempo. Aos 26 minutos, Gilberto cruzou, Seedorf escorou e Rafael Marques mandou a bomba para colocar nas redes defendidas por Lauro.

O Botafogo marcou o terceiro gol aos 31 minutos.Seedorf recebeu a bola na entrada da área, conseguiu se livrar da marcação e enfiou para Elias que se aproveitou da desatenção de Correa para chutar cruzado. Lauro tentou defender, mas não conseguiu evitar que a bola entrasse. Aos 34 minutos, foi a vez de Rafael Marques driblar Correa e colocar Seedorf na cara do gol, mas o chute do meia holandês foi defendido por Lauro.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade