0

Brasileiro do slalom gigante tem estreia adiada para terça

19 fev 2010
12h13
atualizado às 12h34

O brasileiro Jhonatan Longhi terá que esperar dois dias a mais que o previsto para estrear na Olimpíada de Inverno de Vancouver. Devido à nova programação da pista do Whistler Creekside, a prova de slalom gigante teve de ser adiada do domingo para a próxima terça-feira.

Esta é a quarta vez que uma disputa do esqui alpino tem sua data alterada em Vancouver. É a primeira, porém, que a consequência direta não tem relação com as más condições do tempo. Na verdade, Longhi terá de aguardar até terça porque uma outra prova será realizada no domingo - a de supercombinado masculino, que não ocorreu na última terça por causa de fortes nevascas.

A modificação em cima da hora mudou o planejamento de Jhonathan, mas não tirou sua tranquilidade, conforme avaliou o presidente da Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN), Stefano Arnhold. "Ele é um jovem bastante calmo. É claro que em se tratando de Jogos Olímpicos existe uma ansiedade e não dá para ficar indiferente. Mas não muda muita coisa na programação de treinamento", disse.

Depois de Isabel Clark, Jaqueline Mourão e Leandro Ribela, que passaram longe do grupo dos dez melhores colocados em suas modalidades, Longhi será o quarto brasileiro a entrar em ação em Vancouver. Além da próxima terça-feira, ele compete ainda em 27 de fevereiro, no slalom.

Jhonathan, 22 anos, foi o primeiro brasileiro a registrar menos de 50 pontos FIS (Federação Internacional de Esqui, em inglês) em uma competição de esqui alpino, na qual o objetivo é marcar a menor pontuação possível. "Ele está bem animado e treinando muito bem, o que chama a atenção de outras delegações", afirmou o dirigente, elogiando o promissor esportista.

Na delegação do Brasil está presente também uma esquiadora alpina, Maya Harrisson, que participa das disputas do slalom gigante no próximo dia 24 e do slalom no dia 26.

Entenda a prova de slalom gigante do esqui alpino

O slalom gigante é similar ao slalom, mas tem menos curvas e inclinações e um percurso maior. Cada esquiador desce duas vezes a montanha da mesma inclinação, mas com percursos diferentes. Os tempos são somados e o mais rápido é campeão olímpico.

O número de portas (espécies de obstáculos feitos com hastes e bandeira) costuma ser de cerca de 40 para as mulheres e 50 para homens. O slalom gigante costuma ter menos desistências que o slalom, mas os atletas que terminam o percurso sem passar por alguma porta (ou passam, mas de forma inadequada) são punidos e podem ser desclassificados.

Jogos Olímpicos de Inverno no Terra

O Terra transmite ao vivo a competição em 15 canais simultâneos de vídeo. Além disso, os usuários têm a possibilidade de assistir novamente a todo o conteúdo a qualquer momento. Todo o acesso é gratuito.

Uma equipe de 60 profissionais está encarregada de fazer a cobertura direto de Vancouver e dos estúdios do Terra, em São Paulo, no Brasil, com as últimas notícias, fotos, curiosidades, resultados e bastidores da competição.

A equipe conta com a participação do repórter especialista em esportes radicais Formiga - com 20 anos de experiência em modalidades de neve -, e o pentacampeão mundial de skate Sandro Dias, que comenta a competição em seu blog no Terra.

No celular
wap: wap.terra.com.br
Iphone e smartphones: m.terra.com.br/vancouver

Ski Jumpig - Equipamento e trajeto
Ski Jumpig - Equipamento e trajeto
Foto:
Fonte: Terra
publicidade