1 evento ao vivo

Capitão Zwetsch vê boas alternativas, e Rogerinho e Feijão sonham

23 abr 2013
08h04
atualizado às 13h18
  • separator

O capitão João Zwetsch, responsável por reconduzir o Brasil ao Grupo Mundial da Copa Davis, já pensa na montagem da equipe para os playoffs contra a Alemanha, em setembro. Rogério Dutra da Silva e João "Feijão" Souza, candidatos ao posto de número 2 do time, sonham com a possibilidade de retornar ao torneio.

"Sempre tenho a expectativa de voltar à Davis, é um objetivo de todos os jogadores na temporada. Você trabalha para fazer o melhor nos torneios e representar o seu país. Particularmente, é uma competição que gosto muito, na qual me sinto bem à vontade. Quem sabe não posso enfrentar a Alemanha?", vislumbrou Rogerinho.

Superado apenas por Thomaz Bellucci entre os brasileiros, ele ocupa o 89º lugar na lista da ATP, seu recorde, e representou o País na Davis pela última vez justamente na vitória sobre a Rússia, resultado que garantiu a volta ao Grupo Mundial. Otimista, Rogerinho vê boas chances diante dos alemães.

"O Thomaz tem um nível de tênis muito alto e já ganhou de alguns top 10. É um jogador muito sólido e está sempre entre os melhores do mundo. Também temos uma dupla fantástica. Então, formamos uma equipe muito forte. Independentemente de quem seja o número 2, estaremos bem representados e com grandes chances de ganhar", disse.

Atual 112º colocado no ranking mundial, Feijão é o terceiro melhor representante do Brasil na lista. Depois de estrear na Copa Davis diante da Colômbia em 2012, o tenista planeja aproveitar os próximos meses para garantir presença na equipe nacional."Ainda tem muita coisa para acontecer comigo, com o Rogério e com quem esteja brigando pela segunda vaga. Meu foco nesse momento ainda não é a Davis, mas com certeza, se eu estiver jogando como estou agora em setembro, sei que tenho totais condições de defender o Brasil", declarou Feijão, também otimista.

"A Alemanha é uma equipe muito completa e dura, ainda mais fora de casa. Eles contam com vários jogadores de alto nível. Mas nosso time também é forte com a dupla e o Thomaz, que já provou que pode ganhar de qualquer um, independentemente do piso", afirmou.

Ainda que não esteja em seu auge, o experiente Thiago Alves, 30 anos e 186º do mundo, tem boas chances de ser convocado, já que se destacou no confronto com os poderosos Estados Unidos. As possibilidades para acompanhar Thomaz Bellucci, Marcelo Melo e Bruno Soares agradam João Zwetsch, o capitão.

"Contamos com jogadores de características muito diferentes e o importante é que temos boas opções. Na grande maioria das vezes, os tenistas ficam aquém do que podem na Davis em função da pressão emocional. Já os nossos jogadores, como o Thiago e o Rogério,  estão conseguindo encontrar o melhor tênis no torneio, algo raro", apontou.

Veja também:

Final do Paulistão e início do Brasileiro são os destaques do fim de semana
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade