1 evento ao vivo

Chana repensa adeus da Seleção e diz que joga 2012 com Soubak

17 dez 2011
09h01
Felipe Held
Direto de São Paulo

Uma das jogadoras mais queridas da Seleção Brasileira feminina junto ao público seguirá pelo menos mais um ano representando o handebol do País. Animada com a possibilidade de disputar mais uma edição dos Jogos Olímpicos, e desta vez com chances de uma medalha inédita, a goleira Chana anunciou nesta sexta-feira que seguirá no elenco para Londres 2012, desde que o técnico Morten Soubak continue à frente da equipe nacional. E o dinamarquês pareceu dar o sinal verde para a sequência do trabalho.

» Veja conquistas amorosas dos atletas que podem brilhar em Londres
» Confira os brasileiros que já garantiram vaga nos Jogos de Londres

Chana evitava falar em Olimpíada enquanto o Brasil se mantinha com chances de brigar ao menos pelo pódio do Campeonato Mundial feminino de handebol. Tanto que a veterana goleira, que completará 33 anos neste domingo, dizia que não saberia se seguiria no grupo para Londres. Mas a boa campanha da Seleção no torneio disputado em São Paulo motivou a permanência.

"Vale a pena continuar", disse Chana depois da vitória por 32 a 31 sobre a Croácia, na última sexta, que garantiu a Seleção na disputa do quinto lugar do Mundial e o melhor resultado do Brasil na história do torneio. A decisão da goleira, porém, havia sido tomada antes mesmo do triunfo.

"Logo depois da nossa derrota para a Espanha, nas quartas de final, tive uma conversa muito boa com o Morten. E ali ficou decidido: se ele seguir na Seleção para 2012, eu também fico", apontou Chana, lembrando que o dinamarquês ainda não está garantido para a Olimpíada de Londres.

Apesar de ter comandado a Seleção feminina a um resultado inédito em um Mundial de handebol, Soubak deverá enfrentar certos questionamentos da alta cúpula esportiva. Antes de o torneio ter início em São Paulo, aliás, membros do Ministério do Esporte haviam pedido para que as jogadoras conseguissem pelo menos um pódio neste final de dezembro.

Mas o dinamarquês, que assumiu o comando da Seleção em 2009 para o clico olímpico, está tranquilo. A permanência, embora não confirmada, é mais do que provável, uma vez que Soubak tem o aval das jogadoras e conseguiu resultados expressivos ao longo do Mundial. Tanto que o treinador, questionado sobre a permanência, não hesitou para responder. "Nos vemos em Londres", concluiu, sorridente.

Motivada após Mundial inédito, Chana quer disputar Olimpíada de 2012
Motivada após Mundial inédito, Chana quer disputar Olimpíada de 2012
Foto: Edson Lopes Jr. / Terra
Fonte: Terra
publicidade