0

Com sonho ameaçado por ídolo, Gabriel Medina diz que não vai desistir

22 out 2014
13h59

Gabriel Medina está perto de conquistar o título mundial de surfe da WCT. Para isso, terá de superar a lenda Kelly Slater e o ídolo Mick Fanning em Pipeline, na etapa que define o campeão no Havaí, de 8 a 20 de dezembro.

Atual campeão mundial, o australiano Fanning conquistou a última etapa do Circuito Mundial de Surfe (WCT), em Portugal. Com isso, ele somou mais 10.000 pontos e ultrapassou o americano Kelly Slater (50.050 pontos), assumindo a vice-liderança do ranking, com 53.100. Medina, atual número um do mundo, com 56.550, vê Fanning como o principal rival ao título e falou ao globoesporte.com como será uma situação engraçada dividir a casa com o ídolo e rival em Pipeline.

- Ele sempre foi um surfista que eu assistia nos campeonatos e nas revistas, e, agora, eu estou podendo ter um confronto com ele direto pelo título mundial. É engraçado você competir com o seu ídolo. O Mick é uma inspiração para mim, porque é muito determinado, focado e sabe o que ele está fazendo. Mas eu também estarei focado e preparado para o momento - disse Medina que irá dividir a mesma casa com Fanning no Havaí.

- O Mick Fanning é o meu maior rival. É claro que ainda tem o Kelly, mas o Mick se tornou o principal. Vai ser uma situação estranha e engraçada. Vamos ficar na mesma casa no Havaí, e quem estiver na frente vai acabar ganhando. Vai ser um dia-a-dia difícil. Acho que todo o dia vai ser um dia de competição. Independentemente disso, o Mick é um bom amigo - disse Gabriel.

Mick Fanning é tricampeão mundial (2007, 2009 e 2013), e só irá enfrentar Gabriel no Havaí caso os dois se encontrem na decisão, se isso acontecer Medina já terá garantido o título, já que se chegar a final em Pipeline conquistará o mundial independente do resultado.

Para realizar o sonho de ser campeão mundial sem chegar na final da etapa do Havaí, Medina pode perder na segunda ou terceira fase em Pipeline, desde que Kelly Slater não vença a etapa, e Fanning não chegue às semifinais. Se o australiano parar nas quartas, ele e Medina farão uma bateria homem a homem para decidir o caneco.

Se Gabriel perder na quinta fase, terá de torcer para que o Mick não chegue na decisão. Se perder nas quartas ou nas semis, tem que torcer para Fanning não vencer a etapa.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
publicidade