0

Conheça o brasileiro que barrou a lenda Slater em sua 1ª final

29 abr 2010
17h29
atualizado às 21h48
Filipe Prado

Ele tem apenas 20 anos, é brasileiro e já venceu uma final contra o nove vezes campeão mundial de surfe. Em seu primeiro ano no WCT, divisão de elite do circuito profissional de surfe, Jadson André venceu o americano Kelly Slater por 14.40 a 14.00 e conquistou a etapa brasileira do Mundial de surfe, disputada na Praia da Vila, em Imbituba, no litoral catarinense.

Mas o sucesso do potiguar nascido em Alexandria não é repentino, ou mera sorte de principiante. Jadson André surfava nas praias de Ponta Negra e Pipa, em Natal, cidade em que morou até os 15 anos. Ainda garoto, foi descoberto pelo surfista de ondas gigantes, Ademir Calunga, que lhe deu uma prancha havaiana, com a qual venceu a sua primeira competição.

Já patrocinado, mudou-se aos 15 anos para o Guarujá, no litoral paulista. Determinado e disciplinado, Jadson treinou bastante para evoluir o nível de seu surf. Tanto que conquistou todos os títulos amadores possíveis, como alguns estaduais, brasileiro junior e Mundial Sub-18.

Já no disputado WQS, divisão de acesso do circuito profissional de surfe, o brasileiro conseguiu a classificação ao WCT em seu segundo ano no tour, colecionando algumas vitórias, como a da etapa de Durban, na África do Sul.

O destaque do potiguar, assim como a da maioria dos surfistas jovens, é o uso de aéreos. Foi voando que conseguiu conquistar a primeira vitória verde-amarela em ondas brasileiras desde Peterson Rosa, no Rio de Janeiro, em 1998.

Jadson André é goofy - surfa com o pé direito à frente - e, por isso, reclama de as primeiras etapas do WCT - Gold Coast, Bell's Beach e Imbituba - favorecerem os surfisas regulares. Como as ondas quebram para o lado direito, o brasileiro precisa surfar de costas para a onda, de backside, que confessa ser seu ponto fraco.

Outro desafio a ser superado por Jadson é manter o bom desempenho em ondas grandes. Como qualquer surfista brasileiro, precisa se adaptar à ondas pesadas, escassas em uma litoral predominantemente com fundo de areia (beach break). Para isso, conta com a ajuda do amigo Adriano de Souza, o Mineirinho, que lhe passa a experiência adquirida ao longo de três anos no circuito mundial.

Para ajudá-lo a lidar com a pressão sofrida durante os torneios, Jadson recebe orientação de uma psicológa, o que o ajuda a manter a surpreendente determinação em surfar e competir. O brasileiro diz permanecer afastado de festas e drogas, concentrando suas energias apenas nas ondas.

Ao vencer a etapa brasileira em 2010, Jadson André já ocupa o quarto lugar no ranking mundial e é candidato ao título mundial. Com a idade que tem, o jovem surfista se prepara para encarar a pesada onda de Teahupoo, no Tahiti, e vencer os atletas que o inspiraram, ainda quando criança, a começar a surfar: Taj Burrow, Mick Fanning, Joel Parkison. O maior de todos os tempos, no entanto, já venceu.

Especialista em aéreos, Jadson André surpreende na etapa de Santa Catarina
Especialista em aéreos, Jadson André surpreende na etapa de Santa Catarina
Foto: AP
Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade