2 eventos ao vivo

Corinthians vence com contestação da Ponte Preta e vai à semifinal

11 abr 2015
18h17
atualizado às 18h17
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Corinthians está nas semifinais do Campeonato Paulista. Após um primeiro tempo ruim - com direito a um gol anulado (sob muita contestação) da Ponte Preta -, a equipe comandada por Tite chegou à vitória por 1 a 0 em Itaquera com um chute do meia Renato Augusto, na tarde deste sábado.

Para manter a sua invencibilidade em jogos oficiais na temporada e avançar no Estadual, o Corinthians não contou com o centroavante Paolo Guerrero, com suspeita de dengue. Vagner Love foi titular e decisivo para Renato Augusto anotar aos dez minutos do segundo tempo, após executar uma jogada de pivô de fazer inveja ao colega peruano.

Antes, no entanto, Renato Cajá já havia acertado a bola naquela mesma rede da Zona Leste de São Paulo. Aos 37 da etapa inicial, o armador da Ponte Preta pegou um rebote de Cássio em conclusão de Juninho e mandou para o gol - em posição de impedimento de acordo com a arbitragem, o que revoltou toda a equipe visitante.

Estando certa ou não a decisão, o Corinthians agora aguarda o vencedor do jogo entre Palmeiras e Botafogo-SP, que será disputado na manhã de domingo, no Palestra Itália, para conhecer o seu adversário na semifinal. Na noite desta quinta-feira, o compromisso será pela Copa Libertadores da América - contra o San Lorenzo, da Argentina, de novo em Itaquera.

O jogo - O ambiente em Itaquera era de final de campeonato. Houve fumaça branca à beira do gramado para receber Corinthians e Ponte Preta, dezenas de faixas e centenas de pequenas bandeiras espalhadas pelas arquibancadas e até um intenso foguetório nos cinco minutos que antecederam a partida.

Quando a bola rolou, o Corinthians até tentou levar a pirotecnia para dentro de campo. O objetivo era envolver a Ponte Preta com as rápidas transições e triangulações que tem caracterizado a equipe de Tite em 2015 - a mudança seria apenas a presença de Vagner Love no lugar do adoecido Paolo Guerrero no comando do ataque.

Aos dez minutos, por exemplo, Elias apareceu livre de marcação na entrada da área após jogada de Jadson e Love, mas chutou em cima do goleiro Matheus. O grande problema corintiano era que do outro lado não estava uma "tetinha", nas palavras do próprio meio-campista, em seu 200º jogo pelo clube.

Logo no lance seguinte, Renato Cajá gingou na frente de Gil e rolou para Biro Biro finalizar. O atacante acertou o lado de fora da rede - alguns ponte-pretanos até berraram "gol" no setor visitante -, na primeira boa chance criada pelos visitantes, que não demoraram a ficar com mais posse de bola.

O Corinthians quis responder da maneira que sabia. Emerson começou a se movimentar e a ser efetivo nos seus dribles desengonçados, mas abusava do individualismo e concluía mal as jogadas. Jadson e Renato Augusto procuraram encurtar o caminho para a rede com chutes de longe - o primeiro chegou a assustar a Ponte em uma cobrança de falta. Já Vagner Love era bastante voluntarioso. E só.

Do outro lado do gramado, a Ponte Preta se mostrou mais incisiva. A ponto de não abrir o placar apenas em função de uma contestada decisão da arbitragem. Aos 37 minutos, Juninho tirou proveito de vacilo da marcação corintiana e arrematou dentro da área, livre. Renato Cajá completou o rebote de Cássio para o gol, porém o árbitro Flávio Rodrigues de Souza assinalou impedimento do armador.

Mesmo irritados com a anulação, os jogadores da Ponte Preta tiveram forças para incomodar o Corinthians uma última vez no primeiro tempo. Aos 40, Cajá cabeceou com firmeza após ótimo cruzamento da direita. Cássio fez grande defesa para manter o placar inalterado.

Sem mudanças também nas formações de Corinthians e Ponte Preta no intervalo, a torcida local resolveu reforçar o time de Tite no princípio da etapa complementar, manifestando-se com mais veemência. O técnico foi outro a ficar frenético à beira do gramado, embora os seus comandados passassem a apresentar sinais de melhora.

Aos dez minutos, Tite pôde respirar fundo, aliviado, enquanto a torcida soltou a voz de vez. Renato Augusto recebeu a bola de Jadson e passou para Vagner Love, que fez um pivô digno de Guerrero. O meia apareceu dentro da área e bateu cruzado. Matheus ainda tocou na bola após cair mal, mas não evitou o gol.

Love se empolgou com o bom momento e levantou o público de Itaquera com alguns dribles. Até os 25 minutos, quando foi substituído por Danilo. Na Ponte Preta, Guto Ferreira apostou em Roni e Wellington nos lugares de Biro Biro e Josimar. E mandou a sua equipe pressionar.

O Corinthians, então, executou aquilo que havia aprendido bem na época de Mano Menezes - recuou, bem mais cauteloso em suas investidas, para segurar o resultado. Tite ainda trocou Emerson pelo veloz Stiven Mendoza para aproveitar os contra-ataques. A postura proporcionou emoção nos minutos finais da contestada vitória do melhor time da primeira fase do Campeonato Paulista.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade