2 eventos ao vivo

Por Seleção, Ralf e Paulinho recusam propostas e ficam no Corinthians

13 jul 2012
17h54
atualizado às 18h24

Assim como o presidente Mário Gobbi afirmou no início da tarde desta sexta-feira no Memorial do Corinthians, os volantes Paulinho e Ralf confirmaram em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava que estenderam o vínculo com o clube por mais um ano e vão ficar para a disputa do Mundial de Clubes, em dezembro. Os dois atletas, que tinham propostas para trocar o Parque São Jorge pelo futebol italiano, renovaram até o fim de 2015.

» Baixe wallpaper e relembre a campanha do Corinthians campeão
» Confira mais de 100 fotos do título corintiano na Libertadores
» Veja fotos da festa da torcida após título inédito do Corinthians

Um dos ídolos da torcida, o volante Ralf afirmou que a chance de ficar mais perto do técnico Mano Menezes e ser convocado para a Seleção Brasileira falou mais alto que o dinheiro que receberia com a transação para um time europeu e a pressão da família. "Várias partes, família, o Corinthians que te dá todo o suporte e a gente sabe que a gente chegou a Seleção através do Corinthians e espera retornar com a camisa do Corinthians", declarou o camisa 5.

Com passagens pelo futebol da Polônia e Lituânia, Paulinho sabe o que espera uma nova mudança de País, principalmente com uma filha pequena. Por isso, a renovação de contrato e a permanência da equipe campeão da Libertadores foi considerada a decisão correta. "Conversei muito com a minha esposa. Tenho uma filha de 3 anos e mudar para outro país, uma cultura diferente, você tem que se adaptar. Conversamos muito e chegamos a decisão correta para permanecer no Corinthians".

Destaque na campanha dos títulos do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores, Paulinho foi o jogador mais assediado pelos clubes europeus. Especulado para acertar com a Roma, que levou Leandro Castán, CSKA Moscou e Inter de Milão. O jogador, 23 anos, reconheceu que abriu mão do lado financeiro para permanecer na equipe paulista, pois também pensa em voltar a Seleção Brasileira.

"O lado financeiro na Europa é diferente. Você tem que estar feliz, contente. Você não tem que tomar uma decisão para depois se arrepender. Minha decisão foi de permanecer no Corinthians, fazer bons jogos e chegar a Seleção Brasileira. Então abri mão sim de alguma coisa financeira. Mas acho que vai valer a pena", analisou o camisa 8 corintiano.

A proposta de cerca de R$ 20 milhões da Inter de Milão quase tirou Paulinho da equipe de Parque São Jorge. O Corinthians detém apenas 10% dos direitos econômicos e o resto está dividido entre o Banco BMG e o grupo Pão de Açúcar, que pretendiam negocia-lo para recuperar o investimento. Mas a vontade de ficar falou mais alto. "Houve uma reunião com meus representantes, com o banco BMG e chegamos a um acordo. Opinei por permanecer no Corinthians. Quero agradecer a todos eles que entenderam meu lado para permanecer".

Já com 28 anos, Ralf não precisou enfrentar os empresários para ficar no futebol brasileiro. Mas a boa proposta de um time italiano - que o atleta preferiu não divulgar o nome - fez a família pressionar para buscar a independência financeira. "Tem os dois lados da questão financeira. Muitos familiares só pensam na questão financeira. Eu nunca fui para fora como o Paulinho e é difícil você fazer uma carreira lá fora, vai ter reconstruir tudo de novo. E a família tem que entender que foi um lado bom", completou.

Ralf e Paulinho foram sondados por clubes do futebol italiano, mas renovaram com o Corinthians até 2015
Ralf e Paulinho foram sondados por clubes do futebol italiano, mas renovaram com o Corinthians até 2015
Foto: Djalma Vassão / Gazeta Press
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade