5 eventos ao vivo

Presidente corintiano defende que tragédia em Oruro foi acidental

21 fev 2013
15h52
atualizado às 16h47

Mário Gobbi convocou uma entrevista coletiva nesta quinta-feira para se posicionar sobre a tragédia que ocorreu durante o empate por 1 a 1 entre Corinthians e San José, um dia antes, em Oruro. Durante a maior parte do tempo, o presidente corintiano defendeu que a morte do torcedor boliviano Kevin Beltrán Espada, vítima de um sinalizador aos 14 anos, foi acidental.

"Ou você tem uma prova de que fulano de tal usou os fogos de artifício com a intenção de atingir uma pessoa ou é uma fatalidade. Estou acompanhando pela internet, por jornais e por vídeos e me parece ter sido um acidente, algo involuntário", disse. "Não posso crer que alguém vá a um jogo de futebol para matar outra pessoa. Se eu acreditasse 1% nisso, teria que sair do esporte", acrescentou.

Gobbi ainda argumentou que o ambiente entre as torcidas de San José e Corinthians durante a partida, válida pela primeira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América, não justificava um ato hostil. "Não havia clima para isso. Todos estavam vendo o jogo com tranquilidade. Não ocorreu um atrito entre torcedores que gerasse o disparo. Cada um deles estava no seu lugar, comemorando, torcendo. Foi uma fatalidade. Se estivesse acontecendo alguma briga, a gente até poderia cogitar que alguém tenha agido com dolo", declarou.

Após o incidente, o comportamento da torcida do San José mudou. O público boliviano passou a chamar os brasileiros de "assassinos" e a arremessar objetos e desferir insultos contra dirigentes e jogadores reservas do Corinthians. Doze torcedores brasileiros acabaram detidos pela polícia local.

Ainda assim, Gobbi citou a sua experiência como delegado para embasar a tese de que o disparo foi acidental. "Pelo que aprendi na minha carreira, tudo indica que se trata de uma fatalidade. Mas vamos aguardar as investigações. As autoridades bolivianas estão aptas e conhecem os fatos. Devemos deixá-las trabalhar para que apurem por completo", comentou.O presidente do Corinthians não adotou apenas uma postura defensiva em seu pronunciamento. Bastante religioso, Mário Gobbi transpareceu abatimento e afirmou já ter rezado pela alma de Kevin Beltrán Espada nesta manhã.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

publicidade