1 evento ao vivo

Presidente do São Paulo: "problema do Andrés é mobral inconcluso"

12 out 2011
16h36
atualizado às 20h49

Não é de hoje que Juvenal Juvêncio e Andrés Sanchez trocam farpas. Na chegada da delegação do São Paulo à Arena Barueri, o presidente são-paulino, avesso à entrevistas, resolveu responder ao corintiano.

» Confira 50 opções de reforços grátis para seu time em 2012
» Paulo Baier = Agostinho? Veja sósias do Brasileiro

Nos últimos dias, Andrés afirmou que Dagoberto já tinha um pré-contrato com o Santos e não renovaria com o clube do Morumbi. Depois, disse que o rival estaria contratando Romarinho, atacante do Bragantino.

"Ele (Andrés) está criando fatos para ver se desestabiliza o São Paulo. Ao falar que o Dagoberto pode ir para outro lugar, não quer desestabilizar só o jogador. Faz isso porque não tem medo do Vasco, não tem medo do Flamengo, não tem medo do Fluminense. Ele tem medo do São Paulo. É preciso desestabilizar para que não possamos chegar (na disputa pelo título)", afirmou Juvenal.

Internamente, dirigentes e comissão técnica do Corinthians reconhecem que o São Paulo tem o elenco mais forte para nesta reta final do Brasileirão ameaçar o atual líder. Antes do início da 29ª rodada, os rivais estavam separados por quatro pontos.

Juvenal não mediu as palavras para atacar Andrés. Acostumado a ficar muito tempo sem atender à imprensa, aproveitou para desabafalar tudo que segurava há muito tempo.

"O problema do Andrés é o mobral inconcluso. Quando ele concluir isso, vai dar uma melhorada. Infelizmente, o mandato está acabando (dezembro de 2011) e não vai dar tempo de ele arrumar agora. Ele precisa estudar um pouco mais. Eu jamais votaria nele para presidente da CBF. Nem para presidente da Fiel", disse.

"Disseram-me que o Andrés falou que o São Paulo pagaria pelo Romarinho. Isso é mais velho do que andar para trás. Quando você quer vender um determinado jogador, é só falar. Se você não pagar, outro time paga. Será que o Andrés vai terminar o mandato dele sem aprender isso? Isso é golpe. Nunca falamos em Romarinho, nunca o vi jogar", afirmou.

O jogador até chegou a ser observado pelo São Paulo, foi inclusive elogiado, mas não passou disso. Comissão técnica e diretoria têm analisado atletas, sendo a zaga a principal carência do elenco. Paulo Miranda, do Bahia, é quem está mais próximo. Emerson, do Coritiba, e Rafael Tolói, do Goiás, são nomes estudados, mas em condições mais difíceis de contratação.


"Ele (Andrés) está criando fatos para ver se desestabiliza o São Paulo", afirmou Juvenal
"Ele (Andrés) está criando fatos para ver se desestabiliza o São Paulo", afirmou Juvenal
Foto: Luiz Pires/Vipcomm / Divulgação
Fonte: Lancepress!

compartilhe

publicidade