1 evento ao vivo

Criado na Itália, esquiador leva "jeitinho brasileiro" a Vancouver

29 jan 2010
15h03
Mariana Lanza

Jhonatan Longhi, 21 anos, foi adotado por um casal italiano quando ainda era criança, mas basta ler um e-mail dele para notar seu jeito brincalhão, típico de brasileiro. Nascido em Americana, no interior de São Paulo, o atleta já esteve em algumas cidades do País com a família e a que mais lhe chamou a atenção foi o Rio de Janeiro. "É lindo, o clima é quente, as praias são fantásticas e ainda tem as garotas", afirma o atleta, que representará o Brasil na modalidade esqui alpino (Slalom Especial e Slalom Gigante) nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Vancouver.

Johnny, como é conhecido, visitou também São Paulo, Salvador, Fernando de Noronha, Salvador, Recife e Olinda. Na passagem por sua terra natal, estudou a língua portuguesa e conquistou várias amizades. No entanto, quando questionado se já namorou uma brasileira, o esquiador faz suspense. "A namorada é um segredo", diz.

A ligação com o Brasil também levou Jhonatan a jogar futebol na Itália por dois anos, aos dez anos de idade, e ao opinar sobre os principais jogadores da nação. "Eu sei dos melhores: Kaká, Ronaldinho e Thiago Silva (zagueiro do Milan)."

Por outro lado, apesar da proximidade com o povo brasileiro, o atleta afirma que nunca pensou em conhecer seus pais biológicos, o que não quer dizer que ele fuja de sua origem. "Sou um brasileiro que mora na Itália. A única diferença é que esquio mais e falo bem italiano". E esquiar é algo que Jonathan faz desde pequeno.

Aos quatro anos, ele já se arriscava na neve, porém só começou a praticar o esporte profissionalmente em 2007. Para se dedicar exclusivamente ao esqui, Johnny largou a universidade. "Meu melhor resultado foi um segundo lugar em uma competição internacional em Pozza di Fassa, na Itália."

Seu próximo desafio será a estreia em Olimpíada, no Canadá, considerada por ele "a maior experiência no esporte". Curiosamente, Jhonatan não teme os adversários na competição, e sim a baixa temperatura no local. "Meu maior medo é o frio", diz o atleta, que mora próximo aos alpes italianos, no norte do país.

Após os Jogos, Johnny, que é fã do esquiador americano Bode Miller, seguirá com seus treinamentos e espera contar com patrocinadores para se preparar para a Olimpíada na Rússia, em 2014. "Meu pai é meu patrocinador, mas preciso encontrar apoio de novas pessoas para continuar esquiando até os Jogos Olímpicos de 2014. Você pode me ajudar?", brincou.

Jhonatan Longhi é um dos atletas que irá defender o Brasil em Vancouver
Jhonatan Longhi é um dos atletas que irá defender o Brasil em Vancouver
Foto: Divulgação
Fonte: Terra
publicidade