3 eventos ao vivo

Aprovado por Felipão, Bento é apresentado e não teme imediatismo

Primeiro técnico europeu da história do Cruzeiro, o técnico português Paulo Bento, de 46 anos, foi apresentado oficialmente na Toca da Raposa II na tarde desta segunda-feira. Contratado por sua experiência, o ex-comandante da seleção de Portugal assinou contrato até o fim de 2017 e chega ao clube mineiro com o aval de Felipão, pentacampeão […]

16 mai 2016
17h12
  • separator
  • 0
  • comentários

Primeiro técnico europeu da história do Cruzeiro, o técnico português Paulo Bento, de 46 anos, foi apresentado oficialmente na Toca da Raposa II na tarde desta segunda-feira. Contratado por sua experiência, o ex-comandante da seleção de Portugal assinou contrato até o fim de 2017 e chega ao clube mineiro com o aval de Felipão, pentacampeão em 2002 e treinador do Brasil na última Copa do Mundo.

“Trouxemos para o Brasil um treinador que desfruta de prestígio enorme. Falamos com o Felipão, e ele nos garantiu que trazíamos um treinador de muita qualidade, que dará um avanço ao futebol mineiro e brasileiro. É vitorioso, ainda jovem, mas com uma bagagem muito grande. Tem tudo para trazer novas ideias para o Cruzeiro”, colocou o presidente celeste, Gilvan de Pinho Tavares.

Diante da aprovação de Felipão, comandante brasileiro na fatídica derrota por 7 a 1 para Alemanha, nas semifinais da Copa de 2014, Paulo Bento comentou sobre o momento atual do futebol brasileiro e espera contribuir com novas ideias que, segundo ele, deverão ser facilmente absorvidas pelos atletas.

“Não é preciso acontecer algo negativo (referindo-se ao 7 a 1 para a Alemanha, na Copa), para tomar decisão. Nesta atividade, devemos estar em permanente evolução, é disso que se trata. Aquilo que o futebol brasileiro pretende é isso também. Não quero acreditar que seja exclusivamente os cursos que se faz na Europa. Ajuda, sem dúvida. Mas que isso nos faça treinador só por isso, não mesmo. Temos objetivo de contribuir para que o futebol brasileiro possa melhorar, mas não viemos inventar a pólvora. O Brasil é país com cinco Copas, tem equipes que ganharam a Libertadores, como o Cruzeiro, tem campeonato competitivo, disputado, com sua própria cultura, tentaremos criar coisas novas, mas aprenderemos. É o dar e receber, estamos sempre a aprender”, comentou.

“Tive a oportunidade de treinar jogadores brasileiros em Portugal. Os jogadores brasileiros tiveram rendimento extremamente louvável. Não creio que isso seja improvável. Aquilo que pretendemos fazer é trazer algumas ideias que façam a equipe jogar de uma certa forma. Ao mesmo tempo, temos que nos adaptar àquilo que são as características dos jogadores brasileiros. Os brasileiros jamais perderão a capacidade técnica que têm. O que temos que fazer é aproveitar essa boa capacidade técnica numa boa organização tática”, acrescentou.

Desempregado desde que deixou a seleção portuguesa, em agosto de 2014, Paulo Bento esclareceu que, durante o período em esteve afastado do mercado, preferiu se aprimorar, rejeitando propostas de outros clubes. Motivado por seu primeiro trabalho fora de Portugal, o treinador, que comandou apenas um clube em sua carreira – o Sporting Lisboa, entre 2005 e 2009 –, espera construir uma equipe competitiva para o Brasileirão e diz não temer um dos aspectos mais criticados pelos treinadores no Brasil: o imediatismo.

“A expectativa é tentar fazer um bom trabalho para que a equipe evolua da melhor maneira. Queremos construir uma equipe competitiva que possa lutar num campeonato extremamente difícil de disputar. Será um trabalho difícil, pois entraremos durante o campeonato. Mas é um desafio motivador, do qual estamos integrados dentro daquilo que o clube pretende”, colocou.

“Não me preocupa (o imediatismo). Creio que a pressão há para todo lado. É natural que num clube dessa grandeza haja pressão forte. Mas não é algo novo para mim. O Sporting é um dos grandes clubes do meu país. Vivi pressão lá. Isso, contudo, não pode afetar nosso trabalho e nem nossas ideias. É um fator de motivação que, no dia a dia, nos fará melhorar e ficar ainda mais concentrados. A pressão faz parte do futebol e viver sem ela não é legal”, completou.

Além de Paulo Bento, chegam ao Cruzeiro os auxiliares Sérgio Costa e Ricardo Peres, o preparador físico Pedro Pereira e observador técnico Vitor Silvestre. A nova comissão técnica estreia no próximo sábado contra o Figueirense, às 21h (de Brasília), no Mineirão.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade