publicidade
12 de fevereiro de 2014 • 23h54 • atualizado às 01h01

Com imitação de macacos, cruzeirense é alvo de racismo em jogo no Peru

Tinga sofreu com gritos racistas de torcedores peruanos
Foto: AP
 

O meio-campista Tinga, do Cruzeiro, foi alvo de insultos racistas durante a partida contra o Real Garcilaso, do Peru, válida pela primeira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América. Na noite desta quarta-feira, em Huan Cayo, o jogador ouviu das arquibancadas imitações do guinchos de macacos a cada vez que tocou na bola, durante a derrota mineira por 2 a 1.

Tinga entrou em campo aos 18min do segundo tempo para substituir o meia-atacante Ricardo Goulart e passou a ser imediatamente ironizado pela torcida. O árbitro da partida, José Argote, não tomou providências contra o ocorrido. "Estou muito chateado. A gente tenta esquecer isso dentro de campo, mas eu fico muito chateado com isso", disse Tinga, em entrevista à Rede Globo.

"Infelizmente, aconteceu. Joguei vários anos na Alemanha e isso nunca aconteceu. Agora, em um país vizinho ao nosso, onde existem pessoas iguais a mim, acontece isso. Por mim, eu deixaria de ganhar qualquer título para que não houvesse mais desigualdade", lamentou o jogador. O zagueiro Dedé se indignou com o ocorrido: "gesto racista... o Tinga pega na bola e a torcida faz som de macaco. Isso não existe."

O racismo nos estádios é uma das maiores preocupações atuais da Fifa, que faz constantes campanhas contra a discriminação.

Terra