7 eventos ao vivo

Desacerto entre clubes colombianos complica contratação de Cuéllar

7 jan 2016
10h59
  • separator
  • 0
  • comentários

Próxima de um desfecho positivo no início da semana, a negociação do Cruzeiro pela contratação do volante colombiano Gustavo Cuéllar sofreu uma reviravolta preocupante para a diretoria cruzeirense. Isto, porque o Deportivo Cali-COL, dono dos direitos econômicos do atleta, propôs novos termos que acabaram complicando as tratativas.

Em um primeiro momento, o Junior Barranquilla-COL, clube onde o volante está emprestado, faria uso da sua prioridade de compra dos 70% dos direitos econômicos de Cuéllar, enquanto que o Cali permaneceria com os 30% restantes, visando uma negociação futura. O jogador seria emprestado ao Cruzeiro até o final do ano, com valores fixados.

A grande mudança nas negociações está no fato de que o Deportivo Cali quer vender também os 30% dos direitos econômicos de Cuéllar, no entanto, o Junior Barranquilla não teria cacife para concluir as tratativas sob estes termos.

"Infelizmente, eles estão dificultando. Creio que teremos de esperar um semestre mais para poder fazer a transferência. O Cali tem 100% dos direitos e nós temos uma opção para adquirir 70% dos direitos. Infelizmente, o Cali não está facilitando as coisas”, disse o presidente do Junior Barranquilla, Alfredo González Rubio, em contato com o portal Superesportes.

“Como Cuéllar é um dos melhores jogadores da Colômbia, todos querem aproveitar do jogador. Cali quer vender agora os 30%. O Junior ainda negocia com o Cali”, completou.

De acordo com o dirigente colombiano, o Deportivo Cali ainda busca contar com Cuéllar para a disputa da Copa Libertadores no primeiro semestre deste ano. O presidente do Junior, onde o jogador está emprestado até o meio de 2016, garante que o volante não terá o fim de seu empréstimo antecipado.

“Nós prometemos ao jogador que facilitaríamos a transferência. Infelizmente, não será possível agora. O Cali queria o jogador neste semestre, porque irá a disputar a Libertadores e nos questionaram se poderiam ter Cuéllar de volta. Neste momento, dissemos que não, e está emperrada a situação”, disse Rubio, reconhecendo que a transferência de Cuéllar pode ocorrer apenas no segundo semestre.

Nessa quarta-feira, na reapresentação do elenco cruzeirense, o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Bruno Vicintin, já havia destacado o caráter complexo da negociação por Cuéllar.

“O caso do Cuéllar é uma negociação bastante complicada entre Deportivo Cali (dono dos direitos do jogador) e Junior (Barranquilla, onde o atleta está emprestado). Ele demonstra vontade de vir, mas estava emprestado. O valor que Cruzeiro pagaria, os clubes têm de se decidir. Esperamos que resolva. Caso não se concretize, vamos buscar outro jogador”, colocou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade