0

Time misto do Cruzeiro bate Villa Nova e vai decidir título com Galo

8 mai 2013
22h40
atualizado às 22h46

A torcida cruzeirense que marcou presença nesta quarta-feira, no Mineirão, presenciou o time misto do Cruzeiro vencer o Villa Nova por 1 a 0, no jogo de volta pela semifinal do Mineiro. A Raposa já tinha vantagem por ter vencido a primeira partida por 4 a 0, por isso, o técnico Marcelo Oliveira decidiu poupar alguns jogadores, já pensando na decisão contra o arquirrival Atlético-MG.

O gol do jogo foi anotado pelo lateral Egídio em excelente cobrança de falta. O time celeste dominou as ações durante praticamente todo o tempo, mas não impôs um ritmo acelerado, mostrando acomodação em certos momentos da partida, já que a vaga na final estava encaminhada. Por isso, o Cruzeiro deixou de construir um placar mais elástico.

Na sequência do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro terá pela frente a decisão do título contra o arquirrival Atlético-MG. O primeiro confronto entre os maiores rivais de Minas Gerais acontece já no próximo domingo, e a Raposa tem a vantagem de jogar por dois empates ou vitória e derrota pela mesma diferença de gols.

O jogo - Sem se importar com a ampla vantagem obtida no jogo de ida, o Cruzeiro iniciou o duelo desta quarta-feira, pressionando o Villa Nova. Logo aos três minutos Lucas Silva quase marcou em arremate de fora da área, que obrigou William Nobre a se esticar todo para mandar para escanteio e evitar a abertura do placar.

O técnico Marcelo Oliveira optou por poupar alguns titulares do Cruzeiro, mas nem por isso, a equipe deixou de exercer o domínio da partida. Acuado no campo defensivo, o Leão encontrou muitas dificuldades na saída da bola e ameaçou muito pouco o goleiro Rafael.

Com as rédeas do jogo, a Raposa imprimiu um ritmo mais cadenciado com alguns lances de velocidade, que levaram muito perigo contra o time de Nova Lima. Em um destes lances, Ricardo Goulart deu assistência perfeita para o lateral Egídio, que finalizou cruzado, assustando o goleiro do Leão do Bonfim e arrancando aplausos da torcida presente no Mineirão.

Melhor no jogo, o Cruzeiro chegou a balançar as redes com Diego Souza, mas o árbitro Wanderson Alves de Souza deu impedimento na jogada. Aos 34, nova oportunidade para o time celeste, dessa vez, com o avante Borges, que carimbou a trave do Villa Nova em chute cruzado da entrada da área. Os cruzeirenses seguiram pressionando, mas não conseguiram abrir o placar no primeiro tempo.

Na volta para a etapa complementar, o cenário da partida permaneceu praticamente o mesmo, ou seja, o Cruzeiro com o controle total do jogo, mas demonstrando certa apatia para acelerar o ritmo e marcar os gols. Sem ameaçar a Raposa, o Leão do Bonfim se limitou a marcar, mais preocupado em não perder o jogo do que em obter a vaga na decisão do Mineiro.

Sem o atacante Dagoberto, o Cruzeiro forçou em excesso as jogadas pelo meio da área, facilitando a vida dos defensores do Villa Nova. Os laterais Mayke e Egídio trabalharam pouco no jogo, mas sempre que foram acionados criaram boas chances em cruzamentos da linha de fundo.

Na tentativa de dar mais dinamismo, o técnico Marcelo Oliveira mandou a campo o velocista Elber e o avante Ananias. As duas alterações deixaram o time da casa mais veloz, mas como o gol não apareceu, a torcida cruzeirense chegou a mostrar certa impaciência com o desempenho da equipe, até que em uma jogada de bola parada, a Raposa finalmente abriu o marcador.

Egídio cobrou falta com maestria, no ângulo de William Nobre, explodindo o Mineirão em azul e branco. Com a abertura do placar, a equipe celeste passou a atuar com tranquilidade, administrando o resultado positivo para comemorar mais uma vitória e a manutenção da invencibilidade no Campeonato Mineiro.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade