0

Depois de tragédia, luge muda ponto de largada dos homens

13 fev 2010
15h22
atualizado às 22h12
Anderson Giorge
Direto de Whistler

Um dia após a morte do georgiano Nodar Kumaritashvili em um treino do luge para a Olimpíada de Vancouver, o presidente da Federação Internacional de Luge, Sven Romstad, anunciou as medidas que serão tomadas para a realização da modadalidade nos Jogos de Inverno de 2010.

"Por decisão do júri, decidimos baixar o ponto de largada dos homens para o mesmo que era do feminino", disse o dirigente, que chegou a chorar durante a entrevista coletiva deste sábado. Por essa razão, as mulheres também terão novo ponto de saída.

Além de baixar o ponto de largada, a organização dos Jogos de Vancouver decidiu subir o muro do ponto em que o georgiano escapou da pista na última sexta-feira e fizeram alterações no gelo.

Com estas medidas, a velocidade final da prova do luge não deve superar mais os 150 km/h, o que era comum antes do acidente fatal. "A redução deve ser de apenas 10km/h. Por isso, é mais uma razão de caráter emocional", disse Romstad.

"Essa foi uma tragédia que não estamos acostumados em nosso esporte. Foi o primeiro acidente fatal em uma pista oficial desde 1975, quando um italiano morreu", completou.

Entenda o caso

O georgiano Nodar Kumaritashvili, 21 anos, morreu nesta sexta-feira após sofrer um grave acidente no treinamento do luge, no Whistler Sliding Center. O atleta estava em uma velocidade de 144 km/h quando perdeu o controle de seu trenó, bateu contra a parede de gelo e, depois, contra uma haste na pista.

A equipe médica dos Jogos de Vancouver tentou realizar procedimentos de reanimação, como massagem cardíaca e respiração boca a boca, antes de chamar um helicóptero para transferir Kumaritashvili ao hospital. O atleta, que havia iniciado a carreira profissional há dois anos, teve a morte anunciada horas depois pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Após morte de atleta, veja os perigos do Luge
Fonte: Terra
publicidade