0

Descontraído, Cielo comparece a julgamento de doping

20 jul 2011
03h06
atualizado às 08h26
Leandro Miranda
Direto de Xangai

O julgamento do caso de doping do nadador Cesar Cielo começou na madrugada desta quarta-feira (horário do Brasil) na universidade de Direito e Ciência Política de Xangai, na China, e já se estende por cinco horas. A audiência da Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) decidirá se o brasileiro será punido por ter sido flagrado em exame durante o Troféu Maria Lenk, disputado no Rio de Janeiro, em maio.

Aparentando muita tranquilidade, Cielo chegou às 13h50 no horário local (2h50 em Brasília) à universidade, que fica em uma rodovia muito afastada da cidade onde acontece o Mundial de Esportes Aquáticos na China. Ele estava sorridente e fez piada com o companheiro Nicholas Santos.

Fotografados durante a chegada, o campeão olímpico e mundial brincou com Nicholas: "quem falou que você não iria ser fotografado indo para o Mundial?". Cielo e Nicholas chegaram acompanhados de Henrique Barbosa e Vinícius Waked, que também serão julgados pelo CAS por doping.

A decisão do CAS sobre o caso de doping que envolve os quatro nadadores brasileiros deve sair no próximo dia 22. O julgamento pode tirar o melhor nadador do País do Muindial de Esportes Aquáticos de Xangai e até mesmo da Olimpíada de Londres, em 2012.

O CAS é uma entidade independente, sem relações com qualquer organização esportiva, mas com poder para se sobrepor a decisões judiciais no âmbito desportivo, caso seja acionado por uma das partes. Com sede principal em Lausanne, na Suíça, e duas filiais em Nova York (EUA) e Sydney (Austrália), o órgão irá se locomover até a China em caráter de urgência para o julgamento.

O caso dos quatro nadadores brasileiros chegou ao CAS por conta de um apelo da Federação Internacional de Natação (Fina), que não concordou com a decisão do painel de doping da Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos(CBDA) de apenas advertir Cielo e companhia após os atletas terem testado positivo para o diurético furosemida durante exames realizados no Troféu Maria Lenk.

Entenda o caso

O velocista Cesar Cielo teve resultado adverso para a substância proibida furosemida em um exame antidoping feito no Troféu Maria Lenk, realizado em maio, no Rio de Janeiro. Além dele, campeão olímpico e mundial, outros três nadadores brasileiros também foram flagrados: Nicholas Santos, Vinícius Waked e Henrique Barbosa.

De acordo com nota da CBDA, divulgada em 1º de julho, os envolvidos declinaram do direito de realização da amostra B e definiram com precisão como o diurético entrou no organismo, o que comprovou que não houve aumento dos seus desempenhos, fato que não ocorreu nesta competição. Desta forma, a entidade optou apenas por uma advertência aos quatro atletas uma vez que não foi identificada culpa ou negligência por parte deles no episódio. O próprio Cielo, em nota oficial divulgada posteriormente, disse que "em nenhum momento fui imprudente ou negligente ou usei de imperícia".

A situação dos atletas, no entanto, ainda não está totalmente definida. Já que a Fina (Federação Internacional de Natação) resolveu recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS) para tomar uma decisão se os quatro devem ou não ser punidos pelo uso da substância, seguindo as regras das leis antidoping da Fina. Os nadadores serão ouvidos a partir do dia 20 de julho, em Xangai, na China. Em seguida, o tribunal irá analisar os depoimentos e as provas para anunciar no dia 22 se haverá punições pelo antidoping positivo.

Dos quatro flagrados no exame, apenas Henrique Barbosa não faz parte do P.R.O 2016 (Projeto Rumo ao Ouro), idealizado por Cielo com vistas a Olimpíada do Rio de Janeiro. O nadador é também um dos destaques do Flamengo. No Troféu Maria Lenk, competição na qual os atletas foram flagrados, Cielo foi surpreendido pelo compatriota Bruno Fratus na prova dos 100 m nado livre, uma de suas especialidades, ficando em segundo. No entanto, levou ouro nos 50 m livre, 50 m borboleta e nos revezamentos 4x50 m livre, 4x100 m livre e revezamento 4x100 m medley. Todos os resultados dele e dos outros nadadores flagrados na competição foram cancelados.

Menos conhecido entre os quatro nadadores, Waked, 23 anos, já havia sido suspenso por dois meses ainda neste ano por uso da substância isometepteno. Na época, ele se defendeu alegando que utilizou um remédio para dor de cabeça.

Aparentando muita tranquilidade, Cielo chegou sorridente e fazendo piada com o companheiro Nicholas Santos
Aparentando muita tranquilidade, Cielo chegou sorridente e fazendo piada com o companheiro Nicholas Santos
Foto: Leandro Miranda / Terra
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade