0

Em pista mais fácil, Vonn sai na frente por segundo ouro

18 fev 2010
16h32
atualizado às 18h03
Anderson Giorge
Direto de Whistler

Um dia depois de vencer o downhill dos Jogos de Inverno de Vancouver, Lindsey Vonn deu um grande passo rumo à segunda medalha de ouro na competição. Isso porque, nesta quinta-feira, a americana cravou 1min24s16 e fez o melhor tempo do downhill do supercombinado.

A alemã Maria Riesch, com 1min24s49, fez o segundo melhor tempo no downhill do supercombinado, seguida pela americana Julia Mancuso (1min24s96).

A missão de Vonn nesta quinta-feira foi facilitada pelas alterações realizadas pela organização do evento no percurso. A atitude foi tomada depois dos acidentes ocorridos no downhill no dia anterior.

Com percurso mais curto e fácil, as competidoras, em geral, viraram na casa do 1min20, contra o 1min40 do downhill da quarta-feira. Lindsey Vonn, por sua vez, adotou uma estratégia menos ofensiva nas curvas, que, porém, mostrou-se suficinte para garantir a primeira colocação.

"Foi uma descida sólida, mas terei que ter um desempenho um pouco melhor no slalo. No entanto, a minha canela está me matando hoje", disse a americana em referência à contusão que ameaçou sua participação nos Jogos.

No supercombinado, o vencedor é o atleta que obtiver o melhor tempo casado nas duas modalidades (downhill e slalom). Assim, Lindsey Vonn precisa ir bem na prova do slalom para conquistar sua segunda medalha de ouro.

Contudo, Maria Riesch é o grande obstáculo que Vonn terá que superar na luta por mais um ouro. A alemã, segunda colocada no downhill desta quinta-feira, é a líder do ranking mundial e grande especialista no slalom, o que pode ser seu diferencial na prova do supercombinado.

"Estou contente. Ontem (quarta-feira)foi um dia muito longo e, infelizmente, não descansei como gostaria. Para a prova do slalom, a Maria Riesch está colada em mim. Não sei se irei conseguir segurá-la", afirmou Lindsey Vonn.

Entenda a prova do supercombinado no esqui alpino

O combinado testa a habilidade do atleta para reunir a velocidade e os aspectos técnicos do esqui alpino. Pela primeira vez desde que voltou a fazer parte do programa olímpico, em 1988, o evento será composto de uma descida (downhill) seguido por uma corrida de slalom. Daí o nome "supercombinado".

Todos os esquiadores que terminarem a primeira corrida poderão disputar a segunda, independentemente das classificações. A ordem do downhill é definida por sorteio. Já no slalom, há uma inversão, com os 30 melhores da etapa inicial saindo de trás. A partir daí, o tempo combinado dos atletas é mostrado em uma tela. O esquiador com o melhor tempo combinado das duas provas é o novo campeão olímpico.

Jogos Olímpicos de Inverno no Terra

O Terra transmite ao vivo a competição em 15 canais simultâneos de vídeo. Além disso, os usuários têm a possibilidade de assistir novamente a todo o conteúdo a qualquer momento. Todo o acesso é gratuito.

Uma equipe de 60 profissionais está encarregada de fazer a cobertura direto de Vancouver e dos estúdios do Terra, em São Paulo, no Brasil, com as últimas notícias, fotos, curiosidades, resultados e bastidores da competição.

A equipe conta com a participação do repórter especialista em esportes radicais Formiga - com 20 anos de experiência em modalidades de neve -, e o pentacampeão mundial de skate Sandro Dias, que comenta a competição em seu blog no Terra.

No celular
wap: wap.terra.com.br
Iphone e smartphones: m.terra.com.br/vancouver

Confira incríveis tombos do esqui alpino downhill
Fonte: Terra
publicidade