2 eventos ao vivo

Doido para enfrentar Espanha, Parreira diz que Brasil não tem medo

20 jun 2013
15h34
atualizado às 15h34
  • separator
  • 0
  • comentários

Fugindo do discurso dos jogadores que preferem esperar pela confirmação do jogo, o técnico Carlos Alberto Parreira disse que está doido para enfrentar a Espanha. O confronto pode ocorrer em uma semifinal, caso uma das duas seleções fique em segundo do grupo, ou em uma hipotética final da Copa das Confederações.

<p>Parreira diz que Seleção Brasileira não tem medo dos atuais campeões do mundo</p>
Parreira diz que Seleção Brasileira não tem medo dos atuais campeões do mundo
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Confira todos os vídeos da Copa das Confederações

“Espanha é o melhor time do mundo. Não é só o principal, mas nas categorias inferiores também. Tem ganhado título no Sub 21 e Sub 19. Estão em um apogeu impressionante. Levam vantagem sobre nós por estar o time formado há seis anos. Estamos em formação ainda. Estou doido para que o jogo contra eles aconteça para medirmos forças com os atuais campeões do mundo", afirmou Parreira.

A Espanha é uma das duas únicas seleções campeãs do mundo que o Brasil não enfrentou neste ciclo até a Copa do Mundo de 2014. O Uruguai, que também é uma possibilidade de adversário na Copa das Confederações, é o outro.

Até agora, a Seleção só venceu a França, em amistoso no começo de junho. Antes, perdeu para os próprios franceses, Alemanha, Argentina (duas vezes) e Inglaterra, contra quem conseguiu empate posteriormente no Maracanã. O time também empatou com a Itália, a quem vai reencontrar no próximo sábado em Salvador.

Para Parreira, este retrospecto ruim contra campeões mundiais não faz o Brasil temer os espanhóis. Pelo contrário. Se ocorrer, ele acredita que o jogo servirá como um teste real do estágio em que o Brasil se encontra.

“Nós não temos medo do futebol espanhol. Consideramos uma das melhores. O Barcelona é a base da seleção e fez história. Vai ficar permanentemente na história. Tem números imbatíveis. 900 passes, 75% pro cento de bola... É a imposição de um estilo. Respeitamos, mas não temos medo. Mas vamos pensar na semifinal primeiro”, disse.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade