11 eventos ao vivo

Nos pênaltis, Espanha bate Itália em jogo sofrido e desafia Brasil

27 jun 2013
18h47
atualizado em 4/12/2013 às 14h06
  • separator
  • 0
  • comentários

Foi sofrido, mas a final que o Brasil esperava vai acontecer na Copa das Confederações. Nos pênaltis, a badalada Espanha eliminou a Itália após um empate por 0 a 0 nesta quinta-feira, na Arena Castelão, em Fortaleza, em partida marcada pelo cansaço mostrado pelos dois times a partir da metade do segundo tempo.

Copa das Confederações de 2013Semifinais

Espanhaesp-bEspanha(7)0
0(6)ItáliaItáliaita

2013-06-27 19:00 GMT-000 (D) FinalizadoCastelão

Confira todos os vídeos do torneio 

Os espanhóis ganharam a disputa de penalidades por 7 a 6; o único a errar foi o zagueiro Bonucci, que isolou sua cobrança. Jesús Navas converteu a cobrança decisiva para a Espanha, que também teve gols de Xavi, Iniesta, Piqué, Sergio Ramos, Mata e Busquets. Já os italianos que marcaram foram Candreva, Aquilani, De Rossi, Giovinco, Pirlo e Montolivo.

A final da Copa das Confederações, Brasil x Espanha, está marcada para as 19h (de Brasília) deste domingo, no Maracanã, no Rio de Janeiro. Já a derrotada Itália enfrentará o Uruguai na decisão de terceiro lugar, também no domingo, às 13h (de Brasília), na Arena Fonte Nova, em Salvador.

O jogo

A Itália entrou com um forte esquema de marcação para segurar a Espanha: três zagueiros, dois alas, uma linha de quatro meio-campistas e apenas Gilardino à frente. E o time de Cesare Prandelli contou ainda com o forte apoio da torcida em Fortaleza, que vaiava a troca de passes espanhola e se incendiava quando os italianos tentavam um ataque.

A Espanha dominou a posse de bola como de costume, mas não conseguiu penetrar na retaguarda italiana. E os tetracampeões mundiais, por sua vez, assustavam no contra-ataque, com Pirlo tendo liberdade para fazer lançamentos. Aos 17min, ele encontrou Maggio em batida de escanteio, mas Casillas defendeu a cabeçada.

Melhor em campo, a Itália parava as investidas espanholas e contragolpeava em velocidade, com Giaccherini perigoso pela ala esquerda. Aos 36min, ele deu linda bola para a chegada de Maggio, que cabeceou para defesa salvadora de Casillas. Com 42min, novamente Giaccherini avançou com liberdade e foi travado por Piqué; na sobra, De Rossi chutou forte e Casillas espalmou.

<p>Iniesta foi o principal criador de jogadas da partida</p>
Iniesta foi o principal criador de jogadas da partida
Foto: Bruno Santos / Terra

A Espanha só chegou com perigo uma única vez no primeiro tempo: com 37min, Torres recebeu de Xavi, girou para cima de Barzagli e bateu cruzado, para fora. Muito pouco para os campeões mundiais, que saíram vaiados para o intervalo.

A Itálai voltou com uma mudança para o segundo tempo: Montolivo no lugar de Barzagli, deslocando De Rossi para a zaga. A Espanha subiu o ritmo e chegou logo aos 3min pela esquerda, com Iniesta, que tabelou com Alba e chutou mal, para fora. Logo depois, a primeira troca espanhola: Silva deu lugar ao rápido Jesús Navas.

Aos poucos, a Espanha passou a criar chances. Com 13min, Torres serviu Navas, que bateu cruzado para defesa segura de Buffon. Cinco minutos depois, Iniesta dominou na esquerda, se livrou de três marcadores e bateu torto da entrada da área, para fora. A Itália respondeu aos 23min, com chegada perigosa de Maggio direita, que resultou em Piqué travando o chute de Marchisio no último instante.

A partir da metade do segundo tempo, o ritmo do jogo caiu consideravelmente, com os dois times tendo dificuldades físicas no calor de Fortaleza. Os técnicos mexeram: a Itália colocou Aquilani no lugar de Marchisio, e a Espanha apostou em Mata na vaga de Pedro. Aos 39min, nova chance espanhola: Torres serviu Navas, que cruzou para o meio da área, mas a finalização de Piqué subiu demais. As equipes não tiveram mais forças para criar, e a partida se encaminhou para o tempo extra.

Prorrogação

<p>Bonucci (à dir.) foi o único jogador a desperdiçar sua cobrança nas penalidades máximas</p>
Bonucci (à dir.) foi o único jogador a desperdiçar sua cobrança nas penalidades máximas
Foto: Bruno Santos / Terra

Com Giovinco no lugar de Gilardino, a Itália ficou sem centroavante e assustou logo aos 3min: após cruzamento da direita, Giaccherini pegou de primeira e acertou uma bomba na trave. A Espanha respondeu colocando o volante Javi Martínez para jogar de centroavante no lugar de Fernando Torres, e perdeu grande chance quando Piqué chutou por cima após sobra de escanteio.

Com o jogo totalmente aberto, a Espanha passou a sobrar fisicamente. O time teve outra oportunidade com Alba, que recebeu lindo passe de Iniesta e bateu por cima. No segundo tempo, de novo os ibéricos assustaram, quando Mata dominou na entrada da área e bateu forte, para fora. E aos 9min, Xavi soltou a bomba e Buffon defendeu esquisito, contando com a ajuda da trave para não levar o gol.

No último minuto, após grande jogada de Iniesta, Navas cruzou e Martínez tentou de letra, mas furou a finalização. Não havia mais tempo para a bola rolar, e a decisão foi para os pênaltis. Coube a Bonucci errar sua cobrança, e Jesús Navas converteu em seguida para mandar a Espanha à aguardada decisão contra o Brasil.

Ficha da partida

ESPEspanha
ItáliaITA
  • Iker Casillas
  • Alvaro Arbeloa
  • Sergio Ramos
  • Gerard Pique
  • Jordi Alba
  • Xavi Hernandez
  • Andres Iniesta
  • Sergio Busquets
  • Fernando Torres
  • Javier Martinez Aguinaga
  • David Silva
  • Jesus Navas
  • Pedro
  • Juan Mata
  • Buffon
  • Barzagli
  • Montolivo
  • Bonucci
  • Giorgio Chiellini
  • Maggio
  • De Rossi
  • Pirlo
  • Giaccherini
  • Antonio Candreva
  • Claudio Marchisio
  • Alberto Aquilani
  • Gilardino
  • Sebastian Giovinco

Reservas

  • Juan Mata
  • Jesus Navas
  • Javier Martinez Aguinaga
  • Montolivo
  • Alberto Aquilani
  • Sebastian Giovinco
  • Capitão
  • Goleiro
  • Cartões amarelos
  • Cartões vermelhos
  • Gols
  • Gols contra
  • Saiu
  • Entrou

Arbitragem

  • ÁrbitroHoward Webb

    Local

    Castelão

    Fonte: Terra
    • separator
    • 0
    • comentários
    publicidade