0

Torcida vaia Espanha, chama Shakira de "gostosa" e pede cerveja

27 jun 2013
18h50
atualizado às 19h22
  • separator
  • 0
  • comentários

A Espanha é a equipe mais odiada da Copa das Confederações de 2013. Após ser vaiada em todos os seus três jogos na primeira fase, a seleção atual campeã mundial teve novamente torcida contra nesta quinta-feira, na semifinal do torneio disputada no Estádio Castelão, em Fortaleza. A maioria dos fãs brasileiros presentes no local apoiou a seleção italiana, mas não saiu satisfeita. A Espanha se classificou para enfrentar o Brasil na decisão após vencer nos pênaltis. 

Copa das Confederações de 2013Semifinais

Espanhaesp-bEspanha(7)0
0(6)ItáliaItáliaita

2013-06-27 19:00 GMT-000 (D) FinalizadoCastelão

O apoio à Azzurra foi incondicional e começou já na execução do hino italiano – cujo ritmo os torcedores acompanharam à base de palmas – e teve prosseguimento durante todo o jogo. Gritos de “Itália, Itália, Itália” eram ouvidos, enquanto que a seleção espanhola foi vaiada desde a primeira troca de passe.

<p>Torcida brasileira apoiou a Itália durante a partida</p>
Torcida brasileira apoiou a Itália durante a partida
Foto: AP

Da parte da Espanha, a única pessoa bem recebida no Castelão foi a cantora Shakira, que se fez presente para apoiar o namorado, o zagueiro espanhol Gerard Piqué. Sentada nas tribunas do estádio, logo atrás do presidente da Fifa, Joseph Blatter, a colombiana se mostrou sorridente e acenou para os fãs quando apareceu no telão, na transmissão oficial.

Logo depois disso, ela teve o nome gritado da seguinte maneira pelos torcedores: “Shakira gostosa, Shakira gostosa”. Já na prorrogação, a cantora se mostrava nervosa e, sentindo o calor e a umidade de Fortaleza, usava uma folha de papel para abanar o rosto. Durante toda a partida, fãs localizados na parte inferior das tribunas tentaram se aproximar, acenando e tirando fotos da namorada de Piqué.

Também na prorrogação, as vozes das arquibancadas de uniram aos gritos de “cerveja”, citando o produto cuja venda não é permitida nos estádios brasileiros, mas foi liberada pela Fifa para a Copa das Confederações e a Copa do Mundo. O coro teve início porque a bebida não estava mais disponível: a comercialização é sempre interrompida a 30min do segundo tempo do tempo regulamentar das partidas.

Os gritos de “Itália” continuaram nos 30 minutos do tempo extra, após empate por 0 a 0 nos primeiros 90 minutos. Nos instantes finais, quando a Espanha pressionava bastante e havia acabado de perder um gol com Javi Martínez próximo à risca da grande área, as vaias contra os atuais campeões do mundo aumentaram.

Os torcedores aplaudiram bastante o apito final do árbitro Howard Webb e, na sequência, comemoraram até mesmo no momento em que o goleiro Gianluigi Buffon ganhou o sorteio de Iker Casillas, escolhendo iniciar a cobrança dos pênaltis. Os batedores da Espanha, a começar pro Xavi Hernández e passando por Andrés Iniesta, Gerard Piqué, Sergio Ramos, Juan Mata, Sergio Busquets e Jesus Navas, foram incessantemente vaiados enquanto caminhavam até a bola para fazer suas cobranças.

O gol de Piqué, conforme a televisão registrou, foi bastante comemorado por Shakira, enquanto que Ramos e Busquets tiveram reações de protesto contra os torcedores ao converterem suas cobranças. Ao final, nem os gritos de "Buffon" e a pressão de bater por último tiraram a Espanha da final. No próximo domingo, no Estádio do Maracanã, a seleção ibérica terá uma torcida contrária ainda maior, visto que a sua frente estará o Brasil. 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade