2 eventos ao vivo

Cielo chama derrotas de "despertador" e nega ter decepcionado Brasil

25 ago 2010
16h43
atualizado às 18h44
Eduardo Carneiro
Direto de São Paulo

Após o desempenho abaixo das expectativas no Pan-Pacífico, realizado em Irvine, nos Estados Unidos, o nadador brasileiro Cesar Cielo disse em entrevista coletiva nesta quarta-feira que o fracasso na competição em suas especialidades, os 50 e 100 m livre, veio na hora certa e serviu como um despertador para que ele acorde para os próximos anos.

"Cometemos os erros na hora certa. Esse campeonato foi um despertador para os dois próximos anos", afirmou, referindo-se ao Mundial de Xangai, em 2011, e a Olimpíada de Londres, no ano seguinte.

Questionado se a competição pode ser encarada pela torcida brasileira como uma decepção, já que Cielo ficou "apenas" com a prata nos 50 m livre e com o bronze nos 100 m livre, o atual campeão mundial das duas provas, o nadador disse que essa leitura seria injusta e exaltou seus feitos (ele ainda levou o ouro nos 50 m borboleta, prova que não é sua especialidade).

"Não tem o direito (de achar que foi decepção) por causa das medalhas. Ficamos aquém do que era imaginado, mas não foi uma decepção. Termino o terceiro ano seguido como o número um do mundo em uma prova (50 m borboleta) e entre os melhores nadadores do mundo", disse.

O discurso desta quarta nada tem a ver com o do último sábado, quando Cielo demonstrou muito abatimento ao deixar o ouro dos 50 m escapar na reta final.

"Depois da prova é um momento pesado. Agora, com a cabeça mais fria, sei que não foi uma catástrofe e que poderia ter sido pior. Trouxe três medalhas individuais e vou terminar o ano como o primeiro nos 50m borboleta. A prova que eu menos esperava me deixou mais feliz", afirmou. "Poderia ser melhor, mas também poderia ser muito pior. Foi o melhor Pan-Pacífico do Brasil".

Sobre os erros que cometeu na preparação para o torneio nos Estados Unidos, Cielo admitiu: faltou treino. "Acreditava que eu estava fazendo o suficiente e, pelo cansaço que tive, vi que não é bem assim. Nos anos anteriores, eu pedia mais aos técnicos, ficava mais tempo nas piscinas. Já em 2010, a gente treinava e eu pensava: 'já está bom'. Mas, foi bom ter descoberto isso agora e tenho certeza de que darei a volta por cima", concluiu.

Cielo exibe as medalhas conquistadas no Pan-pacífico
Cielo exibe as medalhas conquistadas no Pan-pacífico
Foto: Fernando Borges / Terra
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade